Companhia Teatromosca leva Moby Dick a Nova Iorque e New Bedford

Companhia Teatromosca leva Moby Dick a Nova Iorque e New Bedford
A companhia de teatro Teatromosca leva no mês de outubro a peça Moby Dick até às cidades de Nova Iorque e de New Bedford, nos Estados Unidos, depois de uma digressão por Portugal.
   
Em Nova Iorque, a peça estará em cena no Access Theater a 3 de outubro, partindo depois para New Bedford, onde sobe ao palco no dia 8 no Museu da Baleação.
 
A peça é baseada no romance homónimo de Herman Melville, tem adaptação de Tiago Patrício, direção artística de Pedro Alves e interpretação de Pedro Mendes e Ruben Jacinto.
 
Estreada em dezembro de 2013, é a primeira parte de um trilogia dedicada à literatura norte-americana que a companhia está a apresentar.
 
A segunda é "O Som e a Fúria", de William Faulkner, que estreou em dezembro do ano passado, e a última será "Fahrenheit 451", de Ray Bradbury, que tem estreia marcada para novembro, em Orléans, na França.
 
A companhia escreve na apresentação do espetáculo que, através deste "desafio de trabalhar a partir de uma obra tão vasta e complexa", procura "elaborar uma reflexão sobre a narrativa e o teatro, o documento e a memória, a ordem e o caos."
 
A Teatromosca nota como é "interessante que os heróis desta grande narrativa fundadora dos EUA sejam marinheiros, arpoadores, ferreiros, cozinheiros, loucos tamborileiros, comandados por um influente capitão monomaniaco."
 
"A Baleia, indefinida, secreta, ilimitada, mistério e vertigem, acaba por constituir a analogia da própria obra literária de Melville - e, talvez, também do nosso próprio espetáculo", escreve a companhia.
 
A peça de 60 minutos, sem intervalo, será representada em português e terá legendas em inglês.
 
Nos últimos dois anos, já passou em 10 cidades portuguesas e teatros como o Meridional, em Lisboa, o Theatro Circo, em Braga, ou o Municipal Baltazar Dias, no Funchal.
 
No próximo ano, será apresentada no Festival Asteroiden, em Copenhaga, na Dinamarca.
 
A Teatromosca foi formada em 1999 e tem sede em Sintra.
 
Nos últimos 16 anos, produziu mais de 40 espetáculos, de autores como Beckett, Gao Xingjian, John Berger, Thomas Bernhard, ou Goethe.
 
Quatro dos seus últimos projetos foram selecionados pela crítica portuguesa como as melhores peças de teatro do ano, incluindo Moby Dick, em 2013.
 
O espetáculo é apresentada pelo Arte Institute, com o apoio de diversas instituições, como o Consulado de Portugal em New Bedford, o Museu da Baleação de New Bedford, a Fundação Calouste de Gulbenkian, o Instituto Camões ou a Câmara Municipal de Sintra.