Clarinetista de jazz Simon Wyrsch em residência artística em Cascais

Clarinetista de jazz Simon Wyrsch em residência artística em Cascais
O clarinetista de jazz Simon Wyrsch, que se estreou discograficamente em 2007 com “First Flight”, vai ser músico residente no Cascais Jazz Clube durante uma semana, a partir de quinta-feira, anunciou hoje o clube.
 
Em comunicado enviado à agência Lusa, o Cascais Jazz Clube realça que o clarinetista suíço de 33 anos é “considerado como um dos melhores jovens clarinetistas de jazz do mundo”.
 
Na quinta-feira, a partir das 21:30, Simon Wyrsch participa numa “jam sesson 4 all”, com, entre outros, Emílio Robalo, “considerado pelos seus pares como ‘o pianista dos pianistas’”, o contrabaixista Zeca Esteves e a cantora Maria Viana, a celebrar 40 anos de carreira.
 
Na sexta-feira, Simon Wyrsch toca em trio, com George Esteves (piano) e Paulo Neves (contrabaixo).
 
Simon Wyrsch é também o convidado das sessões de sábado e de domingo, final do evento do clube cascalense. No sábado com George Esteves (piano e voz) e no domingo “com o duo nascido por iniciativa do Club, constituído pelos músicos Carlos Veiga (piano e voz) e Rodrigo St Anastásio (guitarra), que vão visitar alguns dos mais belos temas da Bossa Nova e da Música Popular Brasileira (MPB)”.
 
Simon Wyrsch, depois do álbum de estreia, editou, em 2001, o CD “Rainbow Colors”, que inclui temas como “Eastersong” e “Just A Beer”, e ainda nesse ano, com o Jürg Metzger Jazz-Trio, editou o álbum “Jazz-Trio Plus”.
 
Em 2014 editou também dois álbuns, “Benny's From Heaven” e “Behind The Truth”, que inclui temas como “Hugo Bossa”, “Tenor Sadness” e “Samba de Orfeo”.
 
No ano passado voltou a visitar o universo musical brasileiro com os músicos David Brühwiler e Rodrigo Botter Maio, com os quais editou o álbum “Silevada's Samba”, e este ano saiu o álbum “Impressions”, com o Philipp Rellstab Jazztet.
 
Os álbuns “Benny's From Heaven” e os dois de 2011 incluem composições de autoria do clarinetista.
 
Em 2015 o clarinetista fundou o Ethnic Trance Trio, com o músico russo Gudimir, de seu nome de registo Maxim Anukhin, tocador de “gusli”, um ancestral cordofone russo, e o seu compatriota percussionista Marc Halbheer.
 
Simon Wyrsch, ainda jovem, trabalhou, profissionalmente, como músico com bandas e grupos diferentes, além de recitais a solo, tendo participado entre outros, no Avignon Jazz Festival, Kennedy Center Jazz Club.
 
O músico realizou “masterclasses” com executantes como Billy Taylor, Lewis Nash, Cedar Walton, Curtis Fuller, Kenny Drew jr., Eddie Daniels, e Dave Liebman, entre outros.
 
Bolseiro da Fundação Friedl-Wald; em 2009 ficou em 3.º lugar no Concurso Internacional de Solistas de Jazz em Monte Carlo.