Chef Nuno Queiroz Ribeiro promove gastronomia lusa no Portugal Open

Chef Nuno Queiroz Ribeiro promove gastronomia lusa no Portugal Open

Conhecido dos portugueses através dos programas da SIC Peso Pesado e Dr. White, o chef Nuno Queiroz Ribeiro é o responsável pela vertente gastronómica do Portugal Open em ténis, que decorre até domingo no complexo desportivo do Jamor, em Oeiras.

Com uma equipa de 150 colaboradores, Nuno Queiroz Ribeiro garante cerca de duas mil refeições diárias nos restaurantes da Sponsor's Village e do recinto, na Player's Lounge e na zona de staff. É pelas suas mãos que passam também as refeições dos jogadores que participam no torneio.

Todos os dias com uma ementa distinta, mas com uma preocupação comum:  "Sendo este um evento que promove a imagem de Portugal, quis fazer um hino à gastronomia nacional" , explica.

Na tenda VIP (Sponsor's Village), a oferta é bastante variada, com buffet de frios, quentes, peixes frescos cozinhados a vapor, carnes, saladas, sushi, e também o live-cooking, um conceito com muita adesão.

Para os jogadores, a ementa é mais específica, adequando-se aos gostos, costumes e às necessidades de cada um. “Para os jogadores, a ementa varia de acordo com a hora a que têm os seus jogos. Muitos privilegiam os hidratos de carbono, mas não dispensam a fruta e as saladas Preferem sempre carnes brancas e não vermelhas, peixe e massas sem molho”, explica o chef.

Mas, também aqui, é possível inovar e promover o melhor do que a gastronomia lusa oferece. Nesse sentido, e no âmbito de um programa de actividades paralelas desenvolvidas por Nuno Queiroz Ribeiro durante o Portugal Open, dois dos tenistas participantes foram convidados a trocar momentaneamente os courts de terra batida pela cozinha do chef.

O belga David Goffin e Svetlana Kuznetsova, da Rússia, corresponderam ao desafio, a que também se juntou o chef de duas estrelas Michelin Hanz Neuner. Em conjunto, confeccionaram dois pratos com ingredientes típicos da gastronomia portuguesa.  

Ao belga coube a difícil tarefa de confeccionar migas de presunto serrano com lombinhos de bacalhau e gelado de bechamel.

Destemido, David Goffin agarrou na frigideira, cozinhou as migas, enrolou-as perfeitinhas, cortou-as e distribuiu-as no prato, numa apresentação digna de um verdadeiro chef.

"Não foi muito fácil cozinhar, porque eu não cozinho muito em casa mas tentei", afirmou.

Já a russa Svetlana Kuznetsova, habituada a ganhar, teve pela frente uma salada algarvia com choco flamejado e, sem disfarçar o espanto pela sofisticação do prato, não recusou o desafio.

Com mais dificuldades do que o parceiro de ténis, mas interessada, Kuznetsova observou atentamente o trabalho desenvolvido pelo chef de duas estrelas Michelin Hanz Neuner, que não conseguiu evitar as gargalhadas a cada tentativa da tenista.

"Não acho que consiga repetir isto em casa, mas ainda assim foi uma boa experiência para aprender alguma coisa", disse Kuznetsova.

Sob monitorização de Nuno Queiroz Ribeiro, no final, o resultado foi dois pratos mais ou menos perfeitos, mas, sobretudo, uma experiência divertida. "Claro que não têm a prática que nós temos, mas foi uma coisa divertida e inovadora para eles. Mais uma vez, tentámos promover os nossos sabores, a nossa gastronomia, uma das melhores coisas que temos ", afirmou.

Svetlana Kuznetsova, vencedora de Roland Garros de 2009 e do US Open de 2004, é a 42.ª tenista mundial e recebeu um "wild-card" para o 24.º Portugal Open.

David Goffin é o número dois do ténis da Bélgica e no ano passado esteve às portas do top 40, sendo que agora é 62.º do "ranking" ATP.

Nesta edição do Portugal Open, os dois tenistas venceram os seus primeiros encontros do quadro principal. Kuznetsova bateu a norte-americana Varvara Lepchenko e o belga Goffin eliminou o português Pedro Sousa.