Cemitério de Rio de Mouro assaltado e vandalizado pela segunda vez numa semana

Cemitério de Rio de Mouro assaltado e vandalizado pela segunda vez numa semana

Cerca de 130 campas e 70 gavetões do cemitério de Rio de Mouro, Sintra, foram vandalizadas, tendo sido roubadas dezenas de floreiras, chapas e crucifixos. Este é o segundo assalto registado no espaço de oito dias, facto que o presidente da Junta de Freguesia de Rio de Mouro relaciona “com a falta de meios que a PSP tem neste momento para patrulhar a freguesia”. “A PSP só tem um carro para toda a freguesia, que tem 17 km2. Os outros estão todos encostados por avaria e por não haver dinheiro para os reparar”, acusa ainda Filipe Santos.

De acordo com o autarca, um grupo de pessoas saltou o muro do cemitério durante a noite de segunda para terça-feira. "Desta vez roubaram dezenas de estatuetas, chapas, crucifixos e floreiras e partiram os mármores de dezenas de campas", disse o autarca.

Na semana passada, cerca de 70 gavetões foram vandalizados e abertos, com o objectivo de retirar todo o material de metal.

A Junta de Freguesia de Rio de Mouro está disponível para "arranjar as pedras dos gavetões", mas serão os proprietários a suportar os arranjos das campas.