CDS quer mais protecção para jovens

CDS quer mais protecção para jovens

Para a presidente do Instituto da Segurança Social é “urgente” reforçar os protocolos de comparticipação para lares e centros de acolhimento ao serviço da infância e juventude, com a finalidade de dar respostas, proteger e providenciar um melhor bem-estar”. Um trabalho que está a merecer o “empenho e esforço do actual Governo”, mesmo neste período de economia desfavorável.

Mariana Ribeiro Fonseca encerrava desta forma o III Seminário Anual CDS-PP Almada 2012, um encontro onde se debateu os Maus-tratos e Delinquência juvenil e que contou ainda com a presença de Catalina Pestana, ex-provedora da Casa Pia de Lisboa, do Juiz Conselheiro Armando Leandro presidente da CPCJ Nacional e Carlos Anjos presidente da Comissão Protecção às Vítimas de Crime.

Segundo nota do CDS-PP de Almada, esta problemática social “não deve resvalar para debaixo do tapete”, sob pena de “hipotecar o futuro da sociedade”. Para isso é necessário “estar atento aos sinais desviantes que possam demonstrar a existência de problemas ou comportamentos anormais que sejam identificados com a pedofilia e os seus abusos nas mais variadas formas”.

Situações como casos de bullying, toxicodependência, prostituição, exploração laboral, delinquência, os novos meios de abusos ou coações via novas tecnologias informáticas entre outras”, têm de ser “enfrentadas com firmeza e sem contemplações”, concluiu o encontro.