Cascais tem 95% do território coberto com 192 tutores de bairro

Cascais tem 95% do território coberto com 192 tutores de bairro
O concelho de Cascais tem 95% do seu território coberto com 192 tutores de bairro, alguém que comunica aos serviços de limpeza da autarquia o estado da sua área de residência.
 
A informação foi avançada pela Câmara de Cascais que assinala hoje o décimo aniversário da empresa municipal Cascais Ambiente.
 
Ao "tutor do bairro" cabe monitorizar, na sua área de residência, o estado da limpeza urbana, recolha de resíduos, espaços públicos verdes urbanos, espaços de jogo e recreio, calçadas, passeios, iluminação, estacionamento, segurança pública, entre outras situações.
 
Sempre que se verifiquem não-conformidades é o "tutor do bairro" que está mais habilitado a informar os serviços da câmara, no sentido de agilizar a sua resolução.
 
"A Cascais Ambiente recebeu mais de 450 mil solicitações através da linha verde e aumentou o número de tutores de bairro que ajudam na resolução de problemas da sua zona. Hoje, cerca de 95% do território está coberto com 192 tutores de bairro", indica a autarquia.
 
Ao longo dos seus dez anos, a Cascais Ambiente recuperou 90 hectares nas Dunas da Cresmina que podem hoje ser visitados ao longo de dois quilómetros de passadiços.
 
A Quinta do Pisão viu os seus 380 hectares de área inseridos no Parque Natural Sintra-Cascais.
 
Ao longo da última década, quase 200 mil árvores foram plantadas, 104 hectares de espaços verdes foram requalificados, 10 toneladas de produtos biológicos foram produzidos na horta da Quinta do Pisão, foram passadas 13.300 horas na manutenção de parques infantis, mais de um milhão de toneladas de resíduos recolhidos.
 
Além disso, a Cascais Ambiente, que conta com 550 colaboradores e serve 206 mil munícipes, obteve já a certificação de qualidade e ambiente atribuída pela APCER - Associação Portuguesa de Certificação.
 
Para o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, a Cascais Ambiente "afirmou-se como uma marca de confiança para o concelho isto porque, em apenas 10 anos, a empresa ganhou nova imagem, colocou a inovação ao serviço da gestão, da criação e proteção de áreas verdes, urbanas e de espaços naturais ao mesmo tempo que planeou estratégias para a defesa e aproveitamento sustentável dos recursos".