Cascais revoluciona sistema de mobilidade com mais estacionamento, mais bicicletas e novos autocarros

Cascais revoluciona sistema de mobilidade com mais estacionamento, mais bicicletas e novos autocarros
Cascais vai ter um novo sistema de gestão de mobilidade que promove a utilização de bicicletas e que prevê facilidades de estacionamento e novos autocarros, num projeto "pioneiro e inovador" em Portugal, garante a autarquia, responsável pelo projecto.
 
O "MOBI Cascais", apresentado no Centro de Congresso do Estoril, vai funcionar a partir de setembro e revela que, até 2017, Cascais vai ter 1.280 lugares de estacionamento automóvel gratuito junto às estações de comboios, 70 quilómetros de ciclovias (atualmente há 20 quilómetros) e 1.200 bicicletas (Bicas) em regime de partilha, além de novos autocarros.
 
Por todo o concelho serão instaladas "docas" de estacionamento para 2.000 bicicletas, as disponibilizadas pela autarquia (normais ou elétricas) e as dos próprios munícipes.
 
O novo sistema envolve ainda tecnologia inteligente através de uma plataforma ‘online' que permite informar sobre a disponibilidade de bicicletas e lugares, informação do estado do aluguer, alarme anti-vandalismo e vídeo vigilância.
Quanto aos autocarros, haverá novas linhas rodoviárias, inicialmente em Cascais/Estoril, depois em São Domingos de Rana, seguido de Carcavelos/Parede e, por fim, Alcabideche, sendo que uma delas será destinada exclusivamente para surfistas, o Surf Bus.
 
A utilização das Bicas é de 10 euros por mês e, por mais dois euros, permite também utilizar os novos autocarros, a qualquer hora, por tempo indeterminado.
Com uma avença mensal de 20 euros vai ser possível também estacionar os automóveis privados por tempo ilimitado, em qualquer zona do concelho com exceção das zonas de maior rotatividade, ou seja, no centro da vila.
 
De acordo com o vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, "não existe uma verdadeira democracia se não se puder dar mobilidade a todos os cidadãos", sublinhando que, desde 2002, a autarquia já investiu mais de 71 milhões de euros em vias de circulação.
"Trata-se de um sistema mais transparente, mais fácil e mais sustentável", referiu.
 
Miguel Pinto Luz adiantou que, para já, o novo sistema estará disponível só para os munícipes e, futuramente, será alargado a turistas. Além disso, acrescentou, estão já a haver conversações com Oeiras e Lisboa, municípios vizinhos, para que o sistema seja interligado.
Quanto ao investimento, o autarca explicou que nas bicicletas "o custo foi zero", uma vez que resultou de parcerias com empresas privadas, e a aquisição de autocarros foi feita com "receitas provenientes do estacionamento tarifado", indicando que cada autocarro custa entre 70 e 100 mil euros.
 
Desenvolvido pelo Centro de Engenharia e Investigação da Indústria Automóvel (CEIIA), o novo sistema pretende "criar mais mobilidade sustentável, com ganhos de eficiência para os utilizadores e para o ambiente", prometendo "revolucionar a maneira como se movem os cerca de 210 mil cascalenses e os 1,2 milhões de turistas visitantes anuais, com impacto na área metropolitana de Lisboa".
 
Depois de conhecido o projeto, o secretário de Estado do Ambiente, José Mendes, mostrou-se "esmagado" com a inovação, considerando-o "provavelmente, um dos melhores sistemas de mobilidade apresentados em Portugal".
José Mendes garantiu ainda aos jornalistas que "o Governo está a trabalhar na renovação da linha ferroviária de Cascais", embora não saiba pormenores do projeto, nem de datas.