Cascais privilegia investimento nas freguesias Carcavelos e Parede e S. Domingos de Rana

Cascais privilegia investimento nas freguesias Carcavelos e Parede e S. Domingos de Rana
As freguesias de Carcavelos e Parede e de São Domingos de Rana vão receber “a maior fatia de investimento” atribuído ao município de Cascais no âmbito do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial (PDCT) da Área Metropolitana de Lisboa.
 
O município vai receber 10,3 milhões de euros para 16 projetos apoiados pelo PDCT – cujo valor total é de 89,3 milhões de euros, contratualizado para os 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa –, anunciou hoje a autarquia, em comunicado.
 
Segundo a nota camarária, “as freguesias de Carcavelos e Parede e de São Domingos de Rana, de acordo com a estratégia municipal de redução de assimetrias e criação de um município policêntrico, são as zonas que recebem a maior fatia de investimento”.
 
Entre os projetos com maior dotação financeira estão a recuperação da Escola Básica do Arneiro, na freguesia de Carcavelos e Parede (2,453 milhões de euros), a promoção de eficiência energética da iluminação pública no concelho (1,672 milhões), o Programa + Empregabilidade (1,168 milhões) e a recuperação de património com interesse público (um milhão de euros).
 
O programa Cascais Sénior+ contará com 518.618 euros, mas na área social serão apoiadas outras iniciativas com incidência na freguesia de São Domingos de Rana: projeto integrado de intervenção com pessoas sem-abrigo (280.000 euros), programa seniores em movimento (206.374) e plataforma saúde na escola (280.000).
 
Para o polo de desenvolvimento e empreendedorismo em Talaíde (São Domingos de Rana) estão previstos 700.903 euros, enquanto para estudos de transição para vida ativa de jovens com necessidades educativas especiais serão investidos 270.000 euros.
 
“Depois da fase da infraestruturação do território e do equipamento do território, entramos agora na fase da capacitação das pessoas. A esmagadora maioria destes projetos tem esse propósito de dotar as pessoas […] e o concelho das ferramentas necessárias para afirmar Cascais na era do desenvolvimento inteligente”, sublinhou o presidente da autarquia, Carlos Carreiras (PSD).
 
Os 16 projetos vão centrar-se na melhoria de infraestruturas, no apoio social, na educação, na cultura e na promoção de emprego, abrangendo todas as freguesias do concelho.
 
A nota da autarquia de Cascais salienta ter candidatado “projetos que valem 11,5% do total dos fundos disponíveis", ou seja, dos 89,3 milhões de euros do PDCT para os 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa (AML), no âmbito do próximo programa comunitário Portugal 2020.
 
O apoio global para projetos na AML será assegurado através de 51 milhões do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), 37 milhões do Fundo Social Europeu (FSE) e 1,3 milhões do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência na Utilização dos Recursos (POSEUR).
 
O contrato foi assinado a 14 de agosto, na sede da AML, que integra os municípios de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.