Cascais prepara Semana da Floresta

Cascais prepara Semana da Floresta

Envolver os cidadãos em ações de plantação de espécies nativas do concelho de Cascais, tornando-os agentes ativos no processo de preservação ambiental, é o objetivo da Semana da Floresta, que se realiza entre 18 e 23 de novembro. A iniciativa é promovida pela Câmara Municipal de Cascais.

O Parque Natural de Sintra-Cascais (PNS-C) será o palco de ações de reflorestação com espécies nativas do território cascalense. As plantações envolvem apenas espécies autóctones escolhidas de acordo com a sua área potencial, neste caso o carvalho-cerquinho, o sobreiro, o medronheiro e o carvalho-negral. As florestas autóctones são peças-chave para manter o equilíbrio da fauna e flora, servindo como ponto de refúgio e reprodução de diversas espécies animais e vegetais. Estas florestas são também mais resistentes a pragas, doenças e períodos de seca ou chuvas intensas, contribuindo para manter a fertilidade do espaço rural e o equilíbrio biológico das paisagens.

De 18 e 22 de novembro o convite para participar na Semana da Floresta é dirigido às escolas e instituições do concelho para as quais foram criados programas específicos no âmbito da educação e sensibilização ambiental.

Dia 23 de novembro, Dia da Floresta Autóctone, entre as 10h00 e as 12h30, o convite é alargado a toda a população que, para participar, pode inscrever-se no site www.cm-cascais.pt.

Preparando-se para a Semana da Floresta, a associação “Plantar uma árvore” e o Rotary Club Estoril-Cascais realizam no dia 16 de novembro, das 10h00 às 12h30, atividades de manutenção dos talhões que adotaram no Parque Natural, no âmbito do programa Oxigénio. Apesar de envolver os colaboradores dessas entidades, as ações estão também abertas à participação da população, mediante inscrição prévia (www.cm-cascais.pt).

Ainda com a Semana da Floresta bem presente, o dia 24 de novembro foi o escolhido para apresentar o projeto municipal “O nosso bosque”, que pretende recuperar espaços naturais degradados em zonas urbanas através da criação de bosques e assim melhor contribuir para a purificação do ar, conservar os solos, eliminar vegetação exótica e reduzir ameaças ambientais, nomeadamente incêndios. A manutenção dos bosques, ou “florestas urbanas”, fica entregue a entidades coletivas, públicas ou privadas, que demonstrem interesse nesse sentido. A apresentação do primeiro bosque acontece às 10h00, junto à Rua António Machado, na Abóboda, espaço que será tutelado pela AMUCA - Associação de Moradores da Urbanização Casas do Adro.

Sobre o programa Oxigénio | Lançado em 2008 pela Câmara Municipal de Cascais, o Oxigénio é um plano de promoção e defesa da Natureza e da biodiversidade no concelho de Cascais, realizado através de ações de voluntariado levadas a cabo pela sociedade civil, empresas privadas e instituições públicas.