Cascais espera contacto da ANA-Aeroportos para receber taxa turística de Lisboa

Cascais espera contacto da ANA-Aeroportos para receber taxa turística de Lisboa
O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras (PSD), disse hoje estar a "aguardar serenamente" que a ANA-Aeroportos contacte a autarquia para saber qual a comparticipação financeira que será dada ao concelho relativa à taxa turística de Lisboa.
 
"Estamos a aguardar serenamente que a ANA nos diga quanto é que vamos beneficiar deste subsídio que é dado a Lisboa, uma vez que Cascais recebe tantos turistas que desembarcam naquele aeroporto", disse o autarca à agência Lusa.
 
Em causa está um protocolo assinado na segunda-feira entre a ANA e o município de Lisboa, na sequência da qual aquela empresa vai assumir, a partir de abril, o pagamento da taxa turística de um euro criada pela Câmara Municipal de Lisboa, num valor global estimado entre 3,6 e 4,4 milhões de euros.
 
Carlos Carreiras admitiu, no entanto, que a situação é "uma grande trapalhada criada pela Câmara de Lisboa", reiterando que, para já, "resta aguardar para perceber o que vai acontecer".
 
"Quem se meteu nesta trapalhada, agora que faça para sair dela. Nós só temos é de aguardar", sustentou.
 
O acordo entre a Câmara de Lisboa e a ANA implica que a Taxa Turística não seja cobrada individualmente a cada turista que chegue à capital através de avião, sendo antes paga pela ANA-Aeroportos.
 
A criação de uma taxa turística em Lisboa foi aprovada pela Câmara Municipal em dezembro passado e previa a cobrança de um euro a quem chegasse ao aeroporto ou ao porto da capital e sobre as dormidas.
 
Nessa altura, o presidente da Câmara de Cascais tinha dito que essa nova taxa municipal de Lisboa era "do tempo medieval" e considerou "inconcebível" a decisão do então presidente da autarquia lisboeta, António Costa (PS).
 
A metodologia de cobrança foi, no entanto, alterada, sendo que, durante este ano, a responsabilidade do pagamento será apenas da gestora de Aeroportos.