Cascais aposta no Turismo de Saúde e junta hotéis e unidades de saúde

Cascais aposta no Turismo de Saúde e junta hotéis e unidades de saúde
A Câmara Municipal de Cascais juntou sexta-feira, dia 14 de março, mais de 20 entidades da área da saúde, bem-estar e hotelaria. O objetivo é construir em Cascais uma oferta competitiva de Turismo de Saúde e Bem-estar capaz de captar parte dos €28 mil milhões de receita em todo o mundo.
 
Uma oferta que alie as componentes de Turismo Médico, de Bem-estar, Sénior e Termal às de Hotelaria, Lazer, Cultura e Património. Para tal, foi criada uma plataforma que junta diversos atores - privados, públicos e sociais -  tendo a autarquia um papel agregador e dinamizador. O objetivo é atrair para o concelho aqueles que viajam por todo o mundo, motivados por tratamentos médicos, mas cuja recuperação pode acontecer num hotel ou beneficiar de sessões em centros de bem-estar ou termas.
 
Destina-se essencialmente ao mercado de turismo sénior e médico da Alemanha, Espanha, Angola, Reino Unido, Moçambique e Luxemburgo. Cascais é escolhido como pólo centralizador deste projecto piloto tendo em conta a segurança, condições climatéricas, o aeródromo de Tires, a Marina de Cascais, centro de congressos, casino, hotelaria, vias de acesso e parque natural.
 
De acordo com estimativas dos principais operadores turísticos, 4% do total de turistas anuais fazem turismo de saúde. Procuram tratamentos específicos ou apenas fazer exames completos, mas não dispensam a qualidade normalmente associada a uma viagem de lazer. 
 
Destacando  que “este setor gera mais de €28 mil milhões de receita em todo o mundo”,   Maria do Céu Garcia, responsável pelo projeto na autarquia, afirma  que “Cascais está na linha da frente a olhar para este setor como um motor de desenvolvimento económico para o concelho”. “Promovemos esta reunião para que que todos os nossos parceiros possam discutir o turismo de saúde em Cascais e possam olhar para a Câmara de Cascais como uma plataforma facilitadora e de interação com todos os stakeholders”, salientou.
 
Segundo o Ministério da Saúde, Cascais é o concelho ideal para o desenvolvimento desta aposta dado que “reúne condições ímpares, quer em termos de infraestruturas de saúde, quer públicas, quer privadas, quer em termos de infraestruturas turísticas”. Para Luís Frade, Adjunto do Ministro da Saúde, faltava apenas a componente médica para o concelho se tornar num ator relevante em termos de turismo de saúde.
 
A operacionalização da plataforma  (em termos de turismo médico) parte do Centro Hospitalar Lisboa Norte e está a ser conduzida por Carlos Martins, Presidente do Conselho de Administração. Carlos Martins confirma o interesse em aliar a marca Serviço Nacional de Saúde à marca Cascais, aliança que irá atrair visitantes de vários cantos do mundo e partilhar a linha de turismo médico com Angola e Cabo Verde e retirar daí mais-valias”.
 
As expectativas para os próximos meses são, por isso, muito elevadas. Saliente-se que actualmente, e a título de exemplo, no Hotel Miragem (5 estrelas) o turismo de saúde já representa 19 % da ocupação anual.
 
Algumas entidades presentes: Câmara Municipal de Cascais, Ministério da Saúde, Health Cluster Portugal, Bial, Centro Hospitalar Lisboa Norte, Diaverum, Cruz Vermelha Portuguesa, Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Santa Casa da Misericórdia de Cascais, Grupo Pestana, Marina de Cascais, Grupo José de Mello Saúde, Laboratório Germano de Sousa, Hospital Sant’Ana, Hotel Miragem, entre outros.