Casal detido na Madeira por burlas de 200 mil euros na Grande Lisboa

Casal detido na Madeira por burlas de 200 mil euros na Grande Lisboa
Um casal foi detido na Madeira por suspeitas da autoria de vários crimes de burla na Grande Lisboa, onde o homem se fazia passar por funcionário judicial, burlando dez pessoas em 200 mil euros.
 Fonte da Polícia Judiciária (PJ) disse à agência Lusa que o casal, residente na zona de Mafra, era procurado pelas autoridades policiais há vários meses.
Segundo a PJ, o homem fazia-se passar por funcionário judicial e sugeria "em segredo" a compra de imóveis e automóveis que dizia estarem arrestados em processos judiciais e que iriam ser vendidos em leilão por valores muito abaixo dos praticados no mercado.
"Depois pedia às pessoas para lhe adiantarem algum dinheiro. Assim, foram recebendo verbas até que desapareceram de circulação. O esquema funcionava através de ‘palavra passa palavra’ e alguns dos burlados são familiares uns dos outros", explicou a fonte.
Desta forma, o casal terá conseguido receber avultadas quantias em dinheiro, que supostamente serviria quer para reservar os bens que estavam para ser vendidos, quer para posterior pagamento dos mesmos.
"Prometiam um esquema paralelo, pois legalmente as coisas não se passam assim. É mais um esquema em que os burlões se aproveitam da crise, mas também os lesados foram um bocadinho ‘gulosos’", disse a fonte policial.
O casal já foi presente a tribunal, que aplicou como medidas de coação apresentações periódicas na esquadra da sua atual residência e a proibição de se ausentarem da Madeira.