Casa Ermelinda de Freitas quer juntar 180 mil euros para ajudar carenciados

Casa Ermelinda de Freitas quer juntar 180 mil euros para ajudar carenciados

Maria Cavaco Silva, Daniel Sampaio, Jaime Gama, Paulo Bento e Eusébio foram alguns dos convidados da gala solidária promovida pela Casa Ermelinda de Freitas, com o objectivo de angariar cerca de 180 mil euros para idosos e crianças carenciadas.

Iniciado há quatro anos, o projecto "A Vida de Um Vinho" associa a produção e a comercialização de um 'vinho premium', exclusivo da Casa Ermelinda de Freitas, que reverte a favor de instituições como a Cáritas de Setúbal e a União Social Sol crescente da Marateca.
Estas duas instituições serão beneficiárias da venda de 1.500 garrafas de 'vinho premium', a 100 euros cada garrafa, ou a 175 euros, se o vinho for adquirido em conjunto como uma serigrafia do pintor Mário Rocha.
O fim do projecto, desenvolvido ao longo dos últimos quatro anos com a colaboração de dezenas personalidades, foi assinalado na quarta-feira com uma gala solidária que reuniu cerca de duas centenas de pessoas na Casa Ermelinda de Freitas, na localidade de Fernando Pó, concelho de Palmela.
Para a administradora Leonor Freitas, o projecto "A Vida de Um Vinho", que também integrou a candidatura de Palmela a 'Cidade europeia do vinho', poderá ajudar a melhorar a vida de pessoas carenciadas, mas também "ajuda a que a região seja divulgada e à qualidade dos vinhos da região'.
"Este projecto também ajuda à promoção dos vinhos da Península de Setúbal", disse Leonor Freitas, convicta de que a iniciativa também auxilia os produtores da região.
"Há produtores que vão fazendo o seu caminho e que começam a valorizar mais os seus produtos", apontou.
O seleccionador nacional de futebol, Paulo Bento, que também marcou presença na gala solidária, reconheceu a importância deste tipo de iniciativas para ajudar os mais desfavorecidos.
"No momento que atravessamos, mais importante se tornam estas iniciativas, que deviam ser mais frequentes", disse.
"A nossa ideia é fazer reverter esta solidariedade a favor de pessoas que sempre trabalharam a terra, mas que recolheram poucos proventos, e que hoje vivem em condições de vida depauperadas", disse o presidente da Cáritas de Setúbal, Eugénio Fonseca, com esperança no êxito do projecto.