Casa do Artista realiza espetáculos solidários de homenagem a quatro fadistas

Casa do Artista realiza espetáculos solidários de homenagem a quatro fadistas
A Casa do Artista, em Lisboa, realiza, em fevereiro, uma série de quatro espetáculos de homenagem a fadistas, entre os quais Ada de Castro e Celeste Rodrigues, e as receitas revertem para a obra social da instituição.
 
Os espetáculos realizam-se sempre às segundas-feiras, pelas 21:30, no Teatro Armando Cortez, uma das valências da Casa do Artista, e o primeiro, no dia 02 de fevereiro, homenageia Manuel de Almeida, fadista falecido em 1995, que se estreou profissionalmente em 1951.
 
Neste espetáculo, participam os fadistas André Baptista, António Laranjeira, Joana Amendoeira, Maria Armanda, Maria Mendes e Rodrigo, assim como o músico Rão Kyao - estes dois últimos trabalharam de perto com Manuel Almeida.
 
O Forte D. Rodrigo, em Cascais, de Rodrigo, foi a última casa de fados onde cantou Manuel de Almeida, que gravou um álbum com Rão Kyao, "Eu fadista me confesso", e que com ele participou, em 1986, num festival na Coreia do Norte.
 
Nesta homenagem a Manuel de Almeida, os seis fadistas são acompanhados à guitarra portuguesa por Pedro Castro e, à viola, por André Ramos.
 
No dia 09, é homenageada Ada de Castro, de 77 anos, criadora de “Alguém mandou-me violetas”, fadista que, ao longo da carreira, iniciada em 1960, gravou mais de meio milhar de fados, marchas e canções, como refere a Fundação Amália, no programa de entrega do Prémio Carreira, em 2010.
 
Neste espetáculo participam os fadistas Florinda Maria, que foi homenageada no ano passado pela Associação Cultural Alfredo Marceneiro-Patriarca do Fado, Hélder Moutinho, José Manuel Barreto, distinguido, em 2014, com o Prémio Amália Melhor Intérprete, Luísa Rocha, Maria da Nazaré, Margarida Bessa e Pedro Lisboa.
 
No dia 16 de fevereiro é homenageado Fernando Maurício, falecido em 2003, apelidado, em vida, de “Rei do Fado", criador, entre outros êxitos, de “Boa noite, solidão”.
 
Neste espetáculo, participam a sua sobrinha Ana Maurício, assim como Artur Batalha, Dina do Carmo, Filipa Cardoso, Luis Matos, Pedro Moutinho e Teresa Tapadas.
 
A última homenagem é a Celeste Rodrigues, de 91 anos, criadora de “A lenda das algas”. O espetáculo realiza-se no dia 23 de fevereiro, com a participação de António Pinto Basto, Fábia Rebordão, Yola Dinis e Jorge Fernando, ainda Marco Rodrigues e Cristina Nóbrega, fadistas distinguidos com o Prémio Amália Revelação, e Ricardo Ribeiro, já distinguido com dois prémios Amália - Revelação e Melhor Intérprete.
 
A Casa do Artista, na freguesia lisboeta de Carnide, é uma associação, sem fins lucrativos, de apoio aos artistas, inaugurada em setembro de 1999.
 
No âmbito das celebrações dos seus 15 anos, a Casa do Artista tem patente, na sua galeria, a exposição de fotografia “Há quinze anos na fila da sempre”, que apresenta o grupo dos 33 fundadores, entre eles os atores Raul Solnado, Armando Cortez, Alda Pinto, Carmen Dolores, Manuela Maria e Alina Vaz.