Casa de acolhimento de jovens reconstruída em Cascais 10 anos após incêndio

Casa de acolhimento de jovens reconstruída em Cascais 10 anos após incêndio
Dez anos depois de um incêndio que destruiu a Casa dos Rapazes, em Lisboa, arrancou este mês na Parede, concelho de Cascais, a obra para reconstrução da habitação, que acolhe 23 jovens retirados às famílias por ordem judicial.
 
"Uma das principais missões deste mandato é conseguir uma casa nova. O que nos move todos os dias é o objetivo de finalmente conseguirmos dar um verdadeiro lar aos nossos rapazes a quem a vida já tirou tanto", revela a presidente da instituição, Inês Bettencourt, em comunicado.
 
A empreitada arrancou no passado dia 10 de dezembro e deverá estar concluída em agosto, indica a instituição na sua página do Facebook.
 
De acordo com a responsável, em 2012 a Câmara de Cascais cedeu duas moradias, na Parede, para construir a nova casa e, desde essa altura, a missão tem sido a de angariar patrocínios.
 
As anteriores instalações da Casa dos Rapazes, no Convento do Salvador, em Lisboa, arderam por completo em 2005.
 
Desde essa altura que os rapazes vivem numa casa provisória cedida pela Proteção Civil de Lisboa, em Chelas, "onde falta quase tudo, desde conforto, sossego, espaço ou condições dignas para estudar e brincar".
 
A nova habitação começou a ser construída com o apoio de várias entidades, empresas e pessoas.
 
A Casa dos Rapazes acolhe atualmente 23 rapazes que são retirados às suas famílias pelo tribunal por serem "vítimas de situações familiares muito adversas".
 
"A casa acolhe-os de alma e coração, realizando, desde os primeiros tempos, um acompanhamento contínuo que se estende às suas famílias, para reatar os laços que foram quebrados e preparar um novo caminho para o futuro", refere a direção.