Casa das História Paula Rego inaugura auditório em homenagem a Maria Barroso

Casa das História Paula Rego inaugura auditório em homenagem a Maria Barroso
O auditório da Casa das História Paula Rego, em Cascais, tem, a partir de hoje, o nome de Maria de Jesus Barroso, uma homenagem de "grande significado" para a família e também "especial" para a autarquia.
 
"Muito comovida" com a homenagem prestada à sua mãe, Isabel Soares, filha de Maria Barroso, que morreu em julho passado, falou em nome da família, numa cerimónia que contou também com a presença do irmão e ministro da Cultura, João Soares.
 
"Tem muito significado por ser a casa da Paula Rego, uma artista que a minha mãe tanto admirava. Ela era uma mulher de cultura. Obrigada à Paula Rego por ter aceitado ter o nome da minha mãe na sua Casa das Histórias", disse Isabel Soares, visivelmente emocionada.
 
Também João Soares disse à Lusa, no final da cerimónia, que este "é um momento de grande emoção" e que a homenagem é "justa" e, por isso, "a família está muito feliz".
Da mesma forma, o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, considerou o momento "muito especial".
 
"É especial para o museu, que tem agora o nome de duas mulheres excecionais [Paula Rego e Maria Barroso] e também para Cascais", disse Carreiras.
 
O autarca sublinhou que a proposta de atribuir o nome de Maria de Jesus Barroso ao auditório da Casa das Histórias Paula Rego foi aprovada por unanimidade em reunião de câmara e, quando apresentada à artista, foi aceite de imediato.
 
A homenagem foi seguida da inauguração da exposição "Caçadora Furtiva", que inclui uma centena de obras e foi inspirada no contacto de Paula Rego com a National Gallery, em Londres.
 
Na inauguração, o ministro da Cultura, João Soares, elogiou a Câmara de Cascais pelo trabalho "admirável" desenvolvido na Casa das Histórias, sublinhando que "está em linha com aquilo que queremos para o Governo".
 
A nova exposição parte de uma série de trabalhos resultantes do encontro íntimo da pintora, ao longo de ano e meio, com as coleções da National Gallery, durante uma residência artística da pintora no museu londrino, nos anos 1990.