Carnaxide: Ramazzotti fecha e atira 70 pessoas para o desemprego

Carnaxide: Ramazzotti fecha e atira 70 pessoas para o desemprego

A empresa de distribuição e comercialização de produtos alimentares Ramazzotti, com mais de 60 anos de existência, entrou em insolvência e fechou portas, atirando cerca de 70 trabalhadores para o desemprego, confirmou hoje à agência Lusa fonte sindical.

"Segundo os trabalhadores, a empresa encerrou a 17 de Agosto. Fechou a sede em Carnaxide, o armazém que tinha no Montijo e a delegação do Norte (Vila do Conde). São cerca de 70 funcionários que vão para o desemprego", avança Elisabete Santos, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP).

"As razões do fecho prendem-se com o facto de outras empresas, a quem a Ramazzotti fornecia produtos alimentares, terem fechado ou entrado em insolvência e deixado de pagar. A Ramazzotti começou a entrar também em incumprimento e a ficar com dívidas, até declarar-se insolvente e ter de encerrar", explica a dirigente sindical, responsável pelo acompanhamento da situação.

A sentença de declaração de insolvência foi proferida a 18 de Julho pelo 1º. Juízo do Tribunal do Comércio de Lisboa, mas a empresa ainda laborou mais um mês. No documento, a que a Lusa teve acesso, está agendada para 18 de Setembro, pelas 14:00, uma assembleia de credores.

De acordo com a última actualização do sítio da Internet da Ramazzoti, efectuada há um ano, a empresa refere que tem 70 trabalhadores, do ramo de retalho alimentar/comercialização de marcas internacionais.

A empresa adianta ainda que em 2009 teve um volume de vendas perto dos 21 milhões de euros (20.852 milhões). Em 2010, esse valor baixou cerca de um milhão, para os 19 milhões e 800 mil euros.

A Ramazzotti foi fundada em 1949.