Candidatura do PS a Sintra quer reunir mais de 300 empresários

Candidatura do PS a Sintra quer reunir mais de 300 empresários

A candidatura do PS à Câmara de Sintra quer juntar mais de 300 empresários num encontro para promover e mostrar as oportunidades de investimento existentes no concelho, disse hoje à agência Lusa o candidato Basílio Horta.
"Estes empresários vão saber o que é o concelho, o que é que pode oferecer e as potencialidades que temos. Os empresários nacionais e os de Sintra têm que por Sintra na agenda", disse Basílio Horta.
O encontro, com debate, sobre o programa de emergência económica para o concelho é aberto a toda a população e é promovido pela candidatura de Basílio Horta, juntamente com o antigo ministro do Governo de António Guterres, Jorge Coelho.
Segundo o candidato socialista, o encontro vai decorrer a 07 de setembro e tem dois objetivos, um dos quais "passa por equacionar crescimento e emprego e estudar que medidas concretas podem ser postas em prática para rapidamente atingir esse objetivo".
O segundo objetivo, segundo Basílio Horta, "passa por esses empresários conhecerem a realidade sintrense e porem Sintra na sua agenda".
O também deputado do PS e cofundador do CDS-PP afirmou que pretende inverter o ciclo de desemprego, que faz com que Sintra seja o segundo município com maior número de desempregados do país, salientando que aposta em várias medidas para atingir tal objetivo.
"Por exemplo, fazer um ´package` em que os impostos municipais são um instrumento de atratividade e em que os terrenos e a logística também. A câmara está disponível a fazer contratos de investimento com os empresários, em que em troca de diminuição de IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis] e de derrama e de facilidades em termos de licenciamentos, que haja investimento e emprego", disse.
Basílio Horta falava à agência Lusa durante uma iniciativa de pré campanha, que decorreu hoje junto do comércio local da maior freguesia do país, Algueirão-Mem Martins.
O candidato socialista disse que "Sintra está cheia de empresas industriais fechadas e estabelecimentos encerrados", adiantando que a sua candidatura pretende inverter essa situação que tem consequências "graves em termos económicos e sociais".
"Esta é uma das maiores freguesias da Europa e não tem um mercado municipal. Tem que haver melhor iluminação e é desolador olhar para estas ruas e ver a maior parte dos estabelecimentos fechados. Isto significa desemprego, pobreza e um mau cartão-de-visita", disse.
Na corrida à Câmara de Sintra, além de Basílio Horta, estão Pedro Ventura (CDU), Nuno da Câmara Pereira (PND), Luís Fazenda (BE), Barbosa de Oliveira (independente), Pedro Pinto (PSD/CDS-PP/MPT), Marco Almeida (independente), José Lucena Pinto (PNR), António Laires (PCTP/MRPP), João Massena (PTP) e Nuno Azevedo (PAN).
A Câmara de Sintra é presidida por Fernando Seara, eleito pela coligação Mais Sintra (PSD/CDS-PP) nas eleições de 2009. O atual executivo municipal é composto por seis elementos da coligação PSD/CDS-PP, quatro do PS e um da CDU.