Candidato do PSD/CDS-PP a Sintra diz que criação de emprego é a grande aposta

Candidato do PSD/CDS-PP a Sintra diz que criação de emprego é a grande aposta
O candidato da coligação PSD/CDS-PP à presidência da Câmara de Sintra, Pedro Pinto, anunciou hoje que, se vencer as eleições autárquicas de 29 de setembro, vai fomentar medidas de criação de milhares de postos de trabalho.
"O desemprego deve ser a preocupação de todos os portugueses. Vivemos uma crise que é complicada, com muitos problemas, mas o maior de todos é o desemprego. E o desemprego só se combate de uma maneira, criando postos de trabalho", disse o candidato da coligação "Sintra Pode Mais", no final de uma visita ao Centro de Emprego local.
O também deputado e vice-presidente do PSD adiantou aos jornalistas que pretende criar medidas que permitam a criação de postos de trabalho, como a captação de investimento privado ao nível do setor turístico, que permita a construção de hotéis na vila património mundial.
"Sintra tem condições para dar um grande salto. Tem condições turísticas praticamente únicas no país, mas está muito pouco aproveitada. É no turismo que Sintra deve apostar, temos 1,2 milhões de pessoas a visitar e não ficam cá. Quero que no futuro venham cá e fiquem a dormir", afirmou o candidato da coligação PSD/CDS-PP/MPT.
O social-democrata acrescentou que se se "duplicar o número de camas" na vila podem ser criados "milhares de postos de trabalho", uma vez que "não se consegue abrir um hotel sem as pessoas que fazem limpeza, sem as da receção e sem as das cozinhas".
Outras das propostas enumeradas hoje por Pedro Pinto passam pela criação de um balcão municipal de emprego, que visa apoiar políticas ativas de criação de postos de trabalho, como o projeto "Sintra Solidário + 55", orientado para apoiar empresas a concretizarem respostas para pessoas com idade superior a 55 anos, no qual a câmara apoiará ou assumirá uma parte dos encargos.
O projeto "Sintra Estágios Emprego" apoiará empresas na concretização de 250 estágios para jovens até aos 30 anos, enquanto o "Sintra Património e Ambiente" permitirá a integração de 50 desempregados com idade superior a 55 anos em projetos de promoção e valorização do património cultural e ambiental.
Já o projeto "Sintra Empreendedora" permitirá, segundo Pedro Pinto, o lançamento de incentivos da Câmara para a criação de autoemprego, com isenção de impostos municipais nos dois primeiros anos das empresas que se insiram em áreas aprovadas pelo município.
Pedro Pinto acrescentou que pretende uma maior articulação entre o Centro de Emprego e a Câmara Municipal que permita, por exemplo, que a formação hoje dada aos desempregados seja orientada para os postos de trabalho que vão ser criados no município com o desenvolvimento do setor turístico.
Para o candidato, o objetivo destas medidas passa por diminuir o número de desempregados que residem no concelho, número que atinge atualmente as 22 mil pessoas.
Na corrida à Câmara de Sintra, além de Pedro Pinto, são já conhecidas as candidaturas de Pedro Ventura (CDU), Basílio Horta (PS), Luís Fazenda (BE), Barbosa de Oliveira (independente), Nuno da Câmara Pereira (PND), Marco Almeida (independente) e Nuno Azevedo (PAN).
A Câmara de Sintra é presidida por Fernando Seara, eleito pela coligação Mais Sintra (PSD/CDS-PP) nas eleições autárquicas de 2009 com mais cinco vereadores. Na oposição estão quatro vereadores do PS e um da CDU.