Candidato da CDU a Sintra contra posto de vigilância no Cabo da Roca

Candidato da CDU a Sintra contra posto de vigilância no Cabo da Roca

O candidato da CDU à presidência da Câmara de Sintra, Pedro Ventura, criticou hoje o projeto do Ministério da Administração Interna de construção de um posto de vigilância da costa, com 45 metros de altura, no Cabo da Roca.
"Neste momento temos uma torre de aço que está a ser construída, que terá 45 metros, ao lado do segundo ponto turístico mais importante do concelho de Sintra. Isto traduz-se numa descaracterização da zona mais ocidental da Europa continental", disse o candidato à agência Lusa.
A torre destina-se a acolher um dos vinte radares do Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo da Costa Portuguesa (SIVICC), a cargo da Unidade de Controlo Costeiro da GNR.
O também vereador da Câmara de Sintra com o pelouro das Atividades Económicas considera que este é um projeto importante, mas critica a localização da torre que terá uma altura equivalente a um "prédio de 14 andares", a poucos metros do farol do Cabo da Roca.
"Achamos que a construção desta torre ali é um ato de lesa-património natural, cultural e económico do concelho de Sintra. Vamos enviar cartas à Comissão de Ambiente da Comunidade Europeia, ao Ministério da Defesa, ao MAI e aos grupos parlamentares da Assembleia da República", afirmou.
O candidato da CDU, que hoje visitou o Cabo da Roca, adiantou que irá também informar o Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS), entidade consultora da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).
"Estamos numa área que, não sendo de paisagem classificada de Sintra, é uma área intermédia, que também obedece a regras muito específicas e aquilo que achamos é que a própria UNESCO não foi tida nem achada nesta questão", disse.
O tema foi já abordado durante uma reunião do executivo da câmara, a 26 de setembro de 2012, tendo o presidente do município, Fernando Seara, admitido desconhecer este assunto.
Na ocasião, Pedro Ventura considerou "estranho que se decida a implantação de um equipamento desta dimensão sem que seja dado conhecimento à câmara", podendo tratar-se de "um crime ambiental", dada a sensibilidade da zona.
A agência Lusa solicitou esclarecimentos ao Ministério da Administração Interna, mas não obteve resposta até ao momento.
Na corrida à Câmara de Sintra, além de Pedro Ventura, estão Basílio Horta (PS), Nuno da Câmara Pereira (PND), Luís Fazenda (BE), Barbosa de Oliveira (independente), Pedro Pinto (PSD/CDS-PP/MPT), Marco Almeida (independente), José Lucena Pinto (PNR), António Laires (PCTP/MRPP), Nuno Azevedo (PAN) e João Massena (PTP).
A Câmara de Sintra é presidida por Fernando Seara, eleito pela coligação Mais Sintra (PSD/CDS-PP) nas eleições de 2009. O atual executivo municipal é composto por seis elementos da coligação PSD/CDS-PP, quatro do PS e um da CDU.