Câmara de Sintra quer retirar funcionários de parque junto ao centro histórico

Câmara de Sintra quer retirar funcionários de parque junto ao centro histórico
A Câmara de Sintra vai criar um parque de estacionamento para funcionários perto da estação ferroviária da vila, que poderá ser público ao fim de semana, com o objetivo de aumentar a oferta no centro histórico, revelou fonte municipal.
 
"Estamos a criar um parque de estacionamento para os funcionários da câmara, porque se verifica que são os principais utilizadores do parque do Rio do Porto, que fica mais perto do centro histórico", afirmou hoje à Lusa o vereador do Trânsito e Mobilidade Urbana, Luís Patrício (PSD).
 
O autarca explicou que o novo parque de estacionamento ocupará um terreno com acesso pela Rua André Albuquerque, perto da estação ferroviária, com o objetivo de ser "utilizado durante a semana pelos funcionários da câmara”, admitindo-se que possa ser aberto ao público ao fim de semana".
 
Apesar da necessidade de desmatar o terreno, Luís Patrício estimou que o espaço venha a permitir o estacionamento de "70 a 80 viaturas", uma possível alternativa ao parque do Rio do Porto, que deixará de ser gratuito, de modo a assegurar uma maior utilização pelos visitantes do centro histórico.
 
O também presidente da Empresa Municipal de Estacionamento de Sintra (EMES) acrescentou que a autarquia abandonou, entretanto, a ideia de criar um sentido único na Volta do Duche para facilitar o acesso ao centro histórico.
 
"Foi apresentado apenas um projeto, para criar um sentido único durante o verão, mas fizemos um conjunto de medições, que nos mostraram que a solução não era muito adequada", admitiu o autarca.
 
Para criar alternativas para estacionamento na vila, o dirigente da EMES revelou que, no parque do Departamento de Urbanismo, na Portela, "vai ser instalado um sistema de controlo de acesso, mas apenas para gestão da utilização do espaço", mantendo-se, para já, gratuito.
 
O executivo municipal aprovou, em abril, o aumento das tarifas de estacionamento no concelho, com o voto contra dos vereadores do movimento independente Sintrenses com Marco Almeida (SMA), por considerarem que os "novos preçários para estacionamento penalizam os munícipes".
 
As novas tarifas na vila, na Portela e no Cacém "não são sustentadas por um estudo, sobretudo financeiro, que justifique as opções apresentadas" e, apesar da redução de preço junto à estação ferroviária, numa área residencial e de serviços da Portela o aumento será "de 0,50 euros para um período de duas horas, passando dos atuais 1,10 para 1,60 euros", lamentaram os eleitos do SMA.
 
"Isso revela desconhecimento, porque vamos reduzir para metade o valor junto ao interface, onde pelo mesmo preço será possível estacionar o dobro das horas", comentou Luís Patrício.
 
Segundo o autarca, os aumentos nas restantes zonas, mais perto de serviços, visam assegurar que "há um aumento da rotatividade" no estacionamento.
 
O novo tarifário, para adotar até ao verão, prevê preços mais elevados entre 15 de março e 30 de setembro do que nos restantes períodos do ano.
 
O presidente da EMES espera contar em breve com parte do sistema de informação sobre disponibilidade de lugares de estacionamento para os visitantes.