Câmara de Cascais desmente qualquer responsabilidade em despejo na praia da Torre

Câmara de Cascais desmente qualquer responsabilidade em despejo na praia da Torre
A Câmara de Cascais rejeita qualquer responsabilidade pelas descargas de um colector pluvial directamente para o areal da Praia da Torre, já no concelho de Oeiras. O assunto foi despoletado nas redes sociais e causou uma onda de indignação, uma vez que a origem da descarga era atribuída às obras de construção do novo campus da Universidade Nova de Lisboa, em Carcavelos.
 
“Tristeza do cacete, mais de duas horas! Sr. Carreiras [isto] não é dos esgotos, mas sim da obra da universidade, a sua menina dos olhos, isto é cimento! IRRA! “, escreveu um  utilizador do Facebook, numa publicação partilhada e comentada por centenas de pessoas.
 
Carlos Carreiras, presidente da Câmara de Cascais apressou-se a responder, desmentindo a natureza das descargas: “Pois é, dava jeito que fosse verdade este post, na falta de ideias e de propostas, todas as mentiras servem para atacar. Mas não é verdade em nenhuma praia do concelho de Cascais, também não é verdade que a origem seja as obras da construção da Universidade Nova”, escreveu o autarca. Carreiras vai mais longe e culpa “a oposição” pela origem deste tipo de “falsas notícias”. 
 
“Desde que tenho a honra de estar presidente da Câmara Municipal de Cascais que a oposição tem tido um comportamento que não se situa nas fronteiras da democracia. Têm mentido, caluniado, ofendido e utilizado todas as formas de denegrir o trabalho que temos vindo a desenvolver”, acrescenta Carreiras.
 
Por seu lado, a vizinha Câmara de Oeiras utilizou a sua página no Facebook para responder às críticas de que também foi alvo, esclarecendo que “no passado dia 6 de abril”, através do seu Departamento de Ambiente, enviou para os Serviços Intermunicipais de Água e Saneamento (SIMAS) “uma reclamação relativa a uma descarga que estava a decorrer na praia da Torre em Oeiras”.
“De uma forma célere o SIMAS deslocou-se ao local e verificou que a descarga era proveniente de obras que estão a decorrer no condomínio da Barra, situado em frente à praia da Torre. Foi-nos indicado que a descarga está relacionada com a execução de um furo artesiano. O responsável foi, imediatamente, identificado pela Policia Municipal”, explica o comunicado.
Segundo a autarquia oeirense, o colector em causa foi inspeccionado e limpo, garantindo que os serviços municipais vão estar “atentos ao desenrolar desta situação”.