Cacilheiro de Joana Vasconcelos parte sábado para representar Portugal na Bienal de Veneza

Cacilheiro de Joana Vasconcelos parte sábado para representar Portugal na Bienal de Veneza

O cacilheiro "Trafaria Praia", transformado em obra de arte pela artista Joana Vasconcelos, vai partir no sábado de Lisboa, em direção a Veneza, para representar Portugal na Bienal de Arte deste ano.
De acordo com o atelier da artista, em Lisboa, o cacilheiro, que foi alvo de remodelação e do projeto artístico no estaleiro Navaltagus, no Seixal, vai partir para Veneza no sábado, às 10:00, do Terminal de Santa Apolónia.
A embarcação será rebocada por um navio especial que a levará para o seu destino final, os Giardini, uma zona nobre da exposição internacional de arte de Veneza.
Quando o cacilheiro foi apresentado aos media, em fevereiro, no estaleiro, a artista disse ter conseguido autorização da organização da Bienal para que o barco se desloque durante a exposição e transporte um máximo de 75 passageiros.
O projeto de Joana Vasconcelos - em forma de pavilhão flutuante - com uma intervenção têxtil no interior e um painel de azulejos em redor, com uma vista panorâmica de Lisboa, vai competir com projetos de cerca de uma centena de países.
O projeto da artista, com curadoria de Miguel Amado, é apoiado pela Direção-Geral das Artes, responsável pela representação de Portugal na Bienal de Veneza e também pela Transtejo, que cedeu o cacilheiro para ser transformado em obra de arte itinerante.
Joana Vasconcelos, 41 anos, já apresentou várias obras em exposições na Bienal de Veneza, mas foi convidada pela primeira vez para assegurar a representação oficial portuguesa.
Depois de ter transportado 11 milhões de pessoas durante 51 anos, o cacilheiro "Trafaria Praia" é transformado em obra de arte e voltará a ser usado em Veneza, manobrado por quatro tripulantes da Transtejo.
Este "pavilhão flutuante" de Portugal abre ao público a 01 de junho, na Bienal de Arte de Veneza 2013.