Câmara de Sintra quer comprar Hotel Netto, mas assunto divide vereação

Câmara de Sintra quer comprar Hotel Netto, mas assunto divide vereação

A Câmara Municipal de Sintra decidiu exercer o direito de preferência na aquisição do antigo  Hotel “Netto”, edifício do século XIX, adjacente ao Palácio Nacional no centro histórico da vila, que se encontra em ruínas.

O investimento aprovado em reunião pública do executivo vai possibilitar a recuperação de um hotel histórico com a sua transformação num “Hostel” dirigido essencialmente à juventude, contribuindo assim para a valorização do centro da vila.

Segundo a autarquia, "a medida insere-se numa estratégia de desenvolvimento e atração de investimento que prevê a dinamização do setor turístico e que permitirá a criação de emprego no concelho".  

Contudo, o assunto não é totalmente pacífico, uma vez que a empresa de capitais públicos Parques de Sintra Monte da Lua já havia manifestado publicamente a sua intenção de adquirir o imóvel, contando para o efeito com a aprovação de uma candidatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimentos.

Por isso, o assunto mereceu o voto contrário dos vereadores do movimento Sintrenses com Marco Almeida, com PS, PSD e CDU a viabilizarem a proposta assinada pelo vice-presidente da autarquia, Rui Pereira. 

Considerado um símbolo da Sintra romântica, o hotel “Netto” está inserido na zona de proteção do Palácio Nacional, classificado como Monumento Nacional, e está integrado na área de Património Mundial e Paisagem Cultural que abrange a vila.

Devoluto há várias décadas, o Hotel Netto é conhecido pelo contributo que deu para a imagem de “Sintra Romântica”, onde, por exemplo, destaca-se o escritor romancista José Ferreira de Castro, que ali residiu e escreveu parte da sua extensa obra literária.
A avaliação feita ao imóvel atribui um valor de 650 mil euros, sendo o direito de preferência da Câmara Municipal de Sintra exercido por um valor inferior, 600 mil euros.

Os trabalhos de recuperação do edifício vão contar com apoios comunitários e com a colaboração de técnicos da autarquia de Sintra.