Câmara de Sintra propõe solução para o Museu do Brinquedo

Câmara de Sintra propõe solução para o Museu do Brinquedo

A Câmara de Sintra propôs à Fundação Arbués Moreira a criação de um museu municipal do brinquedo na vila, como forma de evitar o anunciado encerramento do espaço museológico daquela instituição no final de Agosto.

A informação foi divulgada por uma fonte oficial do município depois de o vice-presidente da autarquia, Rui Pereira (PS), se reunir  com os responsáveis da fundação que gere o Museu do Brinquedo de Sintra.

"A câmara propõe-se a criar um museu com o espólio cedido ao município, com o nome do colecionador", adiantou à agência Lusa a mesma fonte. "Vamos aguardar pela proposta de protocolo para avaliar da sua viabilidade", comentou, por seu lado, João Arbués Moreira, filho do criador da fundação que expõe, desde 1989, uma vasta colecção de brinquedos na vila sintrense.

A mesma fonte camarária justificou a proposta como uma forma de tentar evitar o anunciado encerramento do actual Museu do Brinquedo, porque "a câmara não pode financiar fundações".

Para João Arbués Moreira, importa preservar a história do Museu do Brinquedo de Sintra e os sete postos de trabalho que ela assegura. Sobre a cedência da colecção ao município, espera para ver as condições em que ela se poderia processar e as garantias da sua salvaguarda.

A Fundação Arbués Moreira anunciou, no dia 15 deste mês, que, devido à acentuada queda de visitas registada e caso não seja possível assegurar a sua sustentabilidade financeira, o museu "encerrará no dia 31 de Agosto de 2014".

O anúncio do encerramento do espaço museológico levou o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda (BE) a questionar, junto do secretário de Estado da Cultura, se o Governo vai "tomar alguma iniciativa em tempo útil no sentido de garantir a sustentabilidade do Museu do Brinquedo".

No requerimento parlamentar, os deputados Catarina Martins e Luís Fazenda notam que, perante a alteração legislativa dos apoios públicos às fundações, "o município de Sintra está não só impedido de tomar qualquer iniciativa de apoio ao museu como, caso não obedeça à resolução do Conselho de Ministros, será objecto de avultadas multas e penalizações".

O eventual fecho do museu, acusou o BE, "é uma consequência directa e bem visível da política de gestão dos museus por parte da actual tutela da Cultura".

Os vereadores do movimento independente Sintrenses com Marco Almeida, em comunicado, juntaram "a sua voz aos muitos que manifestaram incompreensão e incredulidade" face ao anunciado encerramento do museu. O movimento solicitou o agendamento de uma reunião extraordinária da Comissão Especializada de Educação, Cultura, Desporto e Juventude da Assembleia Municipal de Sintra, no sentido de potenciar "os esforços necessários à reivindicada manutenção do museu em Sintra".

O museu, que expõe mais de 60.000 exemplares de diferentes brinquedos, desde o século XVII até à actualidade, recebeu até agora mais de 900.000 visitantes.