Câmara de Oeiras vai propor financiamento comunitário para estender SATU ao Cacém

Câmara de Oeiras vai propor financiamento comunitário para estender SATU ao Cacém

O presidente da Câmara de Oeiras afirmou hoje que a autarquia vai candidatar-se a financiamento comunitário para a extensão da ligação do Sistema Automático de Transporte Urbanos (SATU) local até ao Cacém, em Sintra.
O autarca, que falava numa sessão da assembleia municipal, adiantou que a decisão resultou de uma reunião realizada com o secretário de Estado dos Transportes.
Segundo Isaltino Morais, o governante "concorda com o percurso do SATU [metro de superfície não tripulado] para o Cacém e que poderá ser financiado por fundos comunitários".
"Até junho vamos apresentar uma proposta que será analisada e depois decorre o processo de negociações e teremos de esperar para ver se é aceite ou não", acrescentou Isaltino Morais à Lusa.
Segundo o autarca, o custo global desta obra será de 120 milhões de euros, sendo que cinco milhões poderão ser financiados por fundos comunitários, e outra quantia, cujo valor ainda não está determinado, virá das câmaras municipais de Oeiras e de Sintra. Outro investimento resultará ainda de apoios de privados.
A ligação Algés - Cacém, que irá interligar as linhas férreas de Sintra e Cascais, integra o projeto de expansão do SATU perspetivado há vários anos.
Já em novembro do ano passado, fonte da empresa que gere o metro de superfície não tripulado do concelho de Oeiras tinha comunicado à Lusa que a mais-valia desta obra está relacionada com os parques empresariais do Lagoas Park e do Taguspark, onde trabalham mais de 16.000 pessoas, que passarão a ser servidos por este sistema, bem como os polos universitários do Instituto Superior Técnico e da Universidade Católica, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e os aglomerados populacionais de Paço de Arcos, Porto Salvo, São Marcos, Cacém.
"Este corredor (Oeiras-Sintra) encontra-se deficientemente servido de transportes públicos coletivos, vindo o sistema SATU disponibilizar, com a concretização desta ligação, um sistema de transporte que prestará um verdadeiro serviço social a todos os habitantes residentes nestes dois concelhos e a todos os não-residentes que diariamente circulem no mesmo", sustentava a empresa.
O SATU de Oeiras é gerido pela Câmara de Oeiras (51%), em parceira com a empresa privada Teixeira Duarte (49%).
No atual trajeto de cerca de 1,2 quilómetros entre Paço de Arcos e o Oeiras Parque, o SATU regista uma média diária de 550 passageiros.