Bragança liga-se a Cascais e Portimão a partir de Junho

Bragança liga-se a Cascais e Portimão a partir de Junho
A presidente da Câmara de Portimão assegurou hoje que o aeródromo municipal estará apto em junho para receber os voos com origem em Bragança, considerando o investimento "pouco significante" face à importância para a sustentabilidade do turismo.
 
A ligação aérea entre Bragança e Portimão, no Algarve, com passagens por Vila Real, Viseu e Cascais, entrará em funcionamento a 01 de junho, decorrendo nesta altura o concurso público internacional.
 
A presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, disse que a situação financeira da autarquia, obrigada a recorrer ao Fundo de Apoio Municipal para pagamento das dívidas de cerca de 160 milhões de euros, "não impedirão de dotar" a estrutura aeroportuária das condições exigidas para a operacionalidade da ligação aérea.
 
"Ainda não sabemos qual o investimento necessário para satisfazer as exigências, sendo certo que esse investimento, tendo em conta a mais-valia e a repercussão que vai ter, não é de grande monta", sublinhou a autarca.
 
"A Câmara está disponível para fazer o investimento necessário, porque não podemos perder esta oportunidade", destacou.
 
Para acolher a ligação aérea entre Trás-os-Montes e Portimão, o aeródromo, situado na região da Penina, na freguesia de Alvor, terá de satisfazer as exigências feitas pelo Instituto Nacional de Aviação Civil.
 
As adaptações respeitam às condições de segurança, com uma equipa de bombeiros em permanência, melhorias na vedação e a implementação de uma zona para embarque e desembarque de passageiros.
 
"Há que fazer ainda o teste de carga à pista e pequenas obras no espaço de acolhimento e de trânsito dos passageiros" indicou Isilda Gomes, assegurando que da parte da autarquia "não haverá qualquer constrangimento para que a ligação não esteja a funcionar no dia 01 de junho".
 
"Algumas obras e intervenções serão efetuadas com recurso aos trabalhadores da Câmara", destacou.
 
Para Isilda Gomes, a ligação entre Trás-os-Montes e Portimão "é da maior importância para encurtar o número de horas de distância, sendo fundamental para a sustentabilidade do município e do turismo".
 
"Não tenho a menor dúvida que os empresários se desloquem entre as várias regiões, o que poderá potenciar o próprio investimento. Quer queiramos quer não as distâncias às vezes são limitativas para os empresários que querem investir em determinadas zonas do país", realçou a autarca.
 
Construído em 1971, o Aeródromo Municipal de Portimão, registou uma média de 12 mil voos entre 2012 e 2013.
 
Segundo o diretor daquela estrutura aeroportuária, Sérgio Mendes, entre os voos utilizados para publicidade e fotografia aérea, lançamento de paraquedistas, de instrução, "merece registo o elevado número de voos privados de recreio, oriundos sobretudo de Espanha, França, Alemanha, Holanda, Reino Unido e Suíça".
 
"A localização da pista integrada numa região como o Algarve, com condições climatéricas excelentes, aliada à realização de vários eventos de paraquedismo, são fatores que têm contribuído para o aumento do tráfego de aeronaves, fazendo com que seja o mais importante aeródromo do sul do país", sublinhou Sérgio Mendes.
 
Aberto ao tráfego ligeiro e ultraligeiro durante todo o ano, o Aeródromo Municipal de Portimão é de Classe II tendo recebido em 2014, a renovação do certificado do Instituto Nacional de Aviação Civil válido para os próximos cinco anos, estando integrado na Rede Nacional de Aeródromos.