Big Bang dedicado aos mais novos no Centro Cultural de Belém

 Big Bang dedicado aos mais novos no Centro Cultural de Belém
O Festival Big Bang volta esta semana ao Centro Cultural de Belém, em Lisboa, com espectáculos e concertos que convidam os espectadores mais novos a descobrirem e explorarem diferentes caminhos da música.
 
Esta é a sétima edição do Big Bang e o programa ocupará vários espaços do CCB, logo pela manhã até ao final da tarde. O público alvo são as crianças, dos quatro aos 12 anos, embora os adultos também sejam convidados a participar.
 
Um dos espectáculos, no grande auditório, é "A areia nunca cai no mesmo sítio", com uma atuação da Orquestra Sinfónica Portuguesa, dirigida por Jean-Marc Burfin, à frente de uma tela onde surgirá um desenho em tempo real feito em areia pelo artista João Alexandrino, conhecido como JAS.
 
No pequeno auditório estará "Soleo", projeto francês de Sophie Boucher, Sébastien Le Guénanff e voz Julien Vasnier, para voz e vários instrumentos, incluindo percussão corporal.
 
Os belgas Zonzo Compagnie - mentores do projeto internacional do festival Big Bang - estarão no CCB com o espectácuo "Berberio", em torno da obra do compositor italiano Luciano Berio.
 
O comediante e músico belga Bernard Massuir fará várias atuações numa das pequenas salas do CCB com os Pequenos Cantores do Conservatório de Lisboa, e os músicos Denys Stetsenko (violino) e Eva Parmente (acordeão) prepara um concerto e um baile cheio de 'mazurkas' e 'polskas'.
 
Todos os anos, o Big Bang realiza o "Quatro dos músicos", com artistas as prepararem uma curta atuação sobre imaginário musical dentro de uma pequena divisão no CCB. Este ano haverá dois quartos, um ocupado por António Oliveira e outro por Nuno Cintrão com Dulce Moreira.