Basílio Horta corta nas despesas e avenças da Câmara de Sintra e consegue poupança de 370 mil euros

Basílio Horta corta nas despesas e avenças da Câmara de Sintra e consegue poupança de 370 mil euros

Em apenas duas semanas, Basílio Horta, novo presidente da Câmara de Sintra, garante ter conseguido uma poupança de 370 mil euros nos gastos da autarquia. Tal valor resulta da redução de custos de funcionamento e na diminuição de avenças e será agora canalizado para dar cumprimento a uma das promessas feitas pelos socialistas durante a última campanha eleitoral, a criação de um Fundo Social de Emergência.

“Grande parte do valor conseguido com estes cortes e poupanças vai ser encaminhado para o fundo social de emergência que será colocado ao serviço das famílias mais carenciadas do concelho”, explica uma nota do Gabinete de Imprensa da Câmara de Sintra.

O mesmo texto garante que “esta redução de custos está a ser concretizada na autarquia sem nunca colocar em causa o serviço prestado aos munícipes, a quem trabalha ou visita o concelho de Sintra”.

Grande parte da redução de custos agora anunciada resulta da nomeação de novos responsáveis para as empresas municipais, na sua quase totalidade sem direito a retribuição monetária, o que resulta em poupanças mensais na ordem dos 15 mil euros.

Ou seja, apenas um dos nove nomeados, ao contrário dos seis no anterior mandato, terá funções remuneradas, sendo o restante elenco formado por vereadores e pelo próprio presidente da câmara.

“Basílio Horta transmitiu aos novos responsáveis pelas empresas municipais a necessidade urgente de reduzir os encargos com serviços e aquisições, sem nunca colocar em causa o serviço prestado aos sintrenses”, salienta uma nota da autarquia.

O universo empresarial do município é constituído pela HPEM (Higiene Pública), SintraQuorum (Gestão de Equipamentos Culturais e Turísticos), Educa (Gestão e Manutenção de Equipamentos Educativos) e EMES (Estacionamento de Sintra).

Basílio Horta (PS) vai assumir a presidência do conselho de administração da HPEM, juntamente com os vereadores Piedade Mendes (PS) e Pedro Ventura (CDU), como vogais do conselho de administração.

Já o vice-presidente, Rui Pereira (PS), ficará como presidente do conselho de administração da SintraQuorum, com o vereador Eduardo Quinta Nova (PS) e Maria Otília Reis, como vogais.

Rui Pereira assumirá também a presidência da Educa, que terá como vogais as vereadoras Piedade Mendes e Paula Neves (PSD). 

Na EMES, Basílio Horta assume o lugar de representante do município na Assembleia Geral, designando o vereador Luís Patrício (PSD) como presidente do conselho de administração da empresa. A EMES terá como vogais o vereador Eduardo Quinta Nova e Hugo Reis Frederico.