Autárquicas: Joaquim Raposo (PS) diz que se candidata pelas pessoas e não contra ninguém

Autárquicas: Joaquim Raposo (PS) diz que se candidata pelas pessoas e não contra ninguém
O candidato socialista à presidência da Câmara de Oeiras, Joaquim Raposo, garante que vai disputar a liderança do concelho “pelas pessoas” e não “contra ninguém”, pretendendo “fazer o que ainda não foi feito” na mobilidade e habitação.
 
“Sei que muitos poderão questionar-se sobre o que move a abraçar este novo desafio”, mas “dúvidas não tenham: é pelas pessoas que aqui estou, é por causa das pessoas”, afirmou o candidato, que falava numa apresentação a militantes e simpatizantes no Palácio Marquês de Pombal, em Oeiras.
 
Joaquim Raposo frisou que a equipa que lidera “não se candidata contra ninguém”.
 
“Vamos lutar por Oeiras, por todos os que aqui vivem e trabalham, e fazer em Oeiras o que ainda não foi feito”, sublinhou.
 
Com 63 anos, Joaquim Raposo foi durante 16 anos o presidente da Câmara Municipal da Amadora.
 
O socialista foi eleito presidente daquela autarquia pela primeira vez em 1997, tendo sido reeleito em 2001, 2005 e 2009.
 
Atualmente é o presidente da Assembleia Municipal da Amadora e deputado na Assembleia da República.
 
Falando sobre a realidade de Oeiras, admitiu ser “um concelho onde há boas vivendas, que tem pujança, mas que (…) tem uma imagem mais benéfica do que existe na realidade”, já que persistem problemas em áreas como o trânsito e a economia.
 
“Temos de fazer alguma coisa”, frisou.
 
No que toca à mobilidade, falou numa “verdadeira revolução”, através de medidas como novos acessos que potenciam e aproveitam vias existentes, na aposta da qualificação e valorização de interfaces de transportes, na introdução do metropolitano à superfície, na criação de uma via para transportes públicos na A5, na ligação ao Metro de Lisboa e à linha ferroviária de Sintra, na criação de mais lugares de estacionamento e ainda na construção de 96 quilómetros de ciclovias e circuitos pedonais em todo o concelho.
 
“Bem sei que muitos, à falta de outro tipo de críticas, põem em causa o investimento destas obras estruturantes. Ao contrário de outros que opinam, eu sei como se faz e como se paga”, vincou, divulgando a intenção de recorrer a “todos os fundos disponíveis a nível nacional e europeu”.
 
Relativamente à habitação, reconheceu ser difícil o “aparecimento de ofertas a preços razoáveis”, razão pela qual pretende instituir uma bolsa de arrendamento municipal, um sistema de rendas apoiadas, “especialmente para jovens famílias”, e ainda programas de habitação a custos controlados.
 
O candidato anunciou também que pretende criar uma política fiscal “mais atrativa e amiga das pessoas”, reduzindo o IMI e o IRS e isentando os novos empresários do pagamento da derrama.
 
Joaquim Raposo prometeu ainda medidas para os idosos e para as crianças e jovens, porque “Oeiras precisa de todos”.
 
Presente na ocasião, a presidente da concelhia de Oeiras do PS, Alexandra Tavares de Moura, frisou que este é um “candidato conhecido de todos, com um percurso vencedor no concelho vizinho da Amadora”.
 
Na corrida por Oeiras nas eleições autárquicas de 01 de outubro, estão os candidatos Paulo Vistas (Independentes Oeiras Mais À Frente e atual presidente do município), o antigo presidente da Câmara de Oeiras Isaltino Morais (independente e ex-presidente da autarquia), a deputada do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) Heloísa Apolónia (Coligação Democrática Unitária - CDU), Ângelo Pereira (líder do PSD/Oeiras e vereador) e Pedro Perestrello (Partido Nacional Renovador).