Associação de Futebol de Lisboa suspende todos os campeonatos como forma de protesto

Associação de Futebol de Lisboa suspende todos os campeonatos como forma de protesto

A Associação de Futebol de Lisboa decidiu suspender todos os campeonatos distritais, por o governo não ter suspendido a entrada em vigor do decreto-lei sobre policiamento em espectáculos desportivos.

"A Direcção da Associação de Futebol de Lisboa, em Reunião Extraordinária, realizada em 6 de Novembro de 2012, em que estiveram, também, representados todos os Órgãos Sociais da mesma, deliberou: Suspender, de imediato, a realização de todas as suas provas e de todos os seus campeonatos, em todas as suas categorias e vertentes – Futebol e Futsal", lê-se num comunicado do organismo.

O decreto-lei 216/2012, que “acaba com o policiamento obrigatório em jogos de iniciados e juvenis”, entra em vigor a 09 de Novembro, 30 dias após a sua publicação em Diário da República.

De acordo com o artigo 3.º do referido decreto-lei, “nos espectáculos referentes a competições de escalões juvenis e inferiores, quando realizadas em recinto, em regra, não deve ter lugar o policiamento”.

O documento acrescenta que caso o policiamento seja requerido, “de forma justificada”, os encargos são “suportados pelos respectivos promotores”.

A 27 de Outubro, em declarações à agência Lusa, o presidente da AFL considerou que sem policiamento obrigatório “haverá clubes que se recusam a jogar em determinados campos e árbitros que têm medo de ser agredidos”, e admitiu que “os clubes visitados não têm dinheiro para pagar o policiamento”.

Contactada pela Lusa, fonte do Gabinete de Comunicação da FPF disse que o organismo reuniu com todas as associações distritais e regionais do país, em acções de esclarecimento sobre a nova legislação concertadas com as autoridades.

A mesma fonte acrescentou que a Associação de Futebol de Lisboa tem sido a única opositora à entrada em vigor do decreto-lei na sexta-feira, sem no entanto questionar a legislação, apenas reclamando que a mesma seja implementada a partir da próxima época.

Além disso, a fonte acrescentou “na realidade pouco vai mudar, porque o policiamento pode ocorrer nos mesmos moldes em que acontecia, desde que os clubes, que já são responsáveis pela organização dos encontros, o solicitem”.