As diferenças de preço e de serviço entre um táxi e uma viatura da Uber

As diferenças de preço e de serviço entre um táxi e uma viatura da Uber
Duas viagens na cidade de Lisboa, o mesmo percurso, a mesma hora e quase o mesmo tempo de duração e preço idêntico. Foi na última sexta-feira, uma num táxi, outra num veículo que presta serviço à Uber.
   
Depois de requisitados em simultâneo por jornalistas da agência Lusa, os dois veículos chegaram ao mesmo tempo à Praça do Município, efetuaram exatamente o mesmo percurso até ao Centro Comercial Colombo, com o táxi a demorar menos dois minutos a chegar ao destino e a cobrar mais 1,12 euros.
 
O taxista fez o percurso em 22 minutos e cobrou 10,05 euros, enquanto a viagem marcada através da aplicação Uber (plataforma digital que fornece serviço privado de transporte) demorou 24 minutos e custou 8,93 euros.
 
Oito minutos foi o tempo que ambos levaram a chegar ao ponto de partida da viagem, após o pedido feito através da aplicação Uber, só disponível na internet, e o telefonema para a central da Rádio Táxis de Lisboa.
 
Assim que chegou, o taxista questionou o destino, enquanto o profissional em trabalho para a Uber confirmou a informação que obteve logo no momento em que lhe foi solicitado o transporte.
 
Nenhum perguntou o itinerário a seguir, tendo ambos optado pelo mesmo percurso: Praça do Município, Rossio, Marquês do Pombal, Avenida António Augusto de Aguiar, Praça de Espanha e Avenida Lusíada.
 
Ao longo da viagem, os dois carros chegaram a estar parados, lado a lado, nuns semáforos na subida da Avenida António Augusto de Aguiar, antes de chegar à Praça de Espanha.
 
O táxi, com 15 anos, apresentava sinais de desgaste nos estofos e nos apoios de braço e, à exceção dos tapetes, estava limpo. A viagem foi feita ao som da Rádio Renascença, em volume baixo.
 
Já o veículo do profissional que presta serviço para a Uber tem matrícula deste ano e encontrava-se completamente limpo. A Rádio Nostalgia fez companhia ao longo da viagem.
 
Durante o percurso, o taxista, na casa dos 50 anos, mostrou-se conversador, abordando temas como o futebol, o trânsito em Lisboa ou a proliferação de 'tuk tuk' (minicarros turísticos) na cidade.
 
"Isto é uma praga", desabafou em tom irritado, quando ultrapassava um destes veículos.
 
O motorista da Uber, com cerca de 30 anos, demonstrou uma postura cordial, mas só se manifestava sempre que era abordado, tratando a jornalista por "menina".
 
Quando já estava próximo do Colombo, o taxista perguntou qual o local de desembarque, enquanto a viatura ao serviço da Uber parou numa das entradas deste centro comercial.
 
No fim da viagem o taxista questionou: "Quer fatura? São 10 euros e cinco cêntimos, mas deixe lá os cinco cêntimos", acrescentou. Depois do pagamento, efetuado com uma nota de 20 euros, deu 10 euros de troco e desejou bom fim de semana ao jornalista.
 
No caso da plataforma Uber, o pagamento fez-se automaticamente através do cartão de crédito, previamente associado à aplicação, e a fatura foi enviada, de imediato, para o email da conta do cliente.