Arte urbana marca presença este ano na Feira do Livro de Lisboa

Arte urbana marca presença este ano na Feira do Livro de Lisboa
Artistas urbanos vão pintar vidrões inspirados em autores de Língua Portuguesa, na Feira do Livro de Lisboa, no âmbito da programação do grupo editorial LeYa, que tem agendada a apresentação do novo romance de Nuno Camarneiro.
 
Em comunicado hoje divulgado, o grupo LeYa afirma que o seu espaço, na 85.ª Feira do Livro, é dedicado à arte urbana, onde vários artistas vão pintar vidrões baseados na obra de diversos autores de Língua Portuguesa, numa parceria com o gabinete criado pela Câmara Municipal de Lisboa, para esta área.
 
Para assinalar o cinquentenário das Publicações Dom Quixote (PDQ), no próximo domingo, pelas 19:30, é apresentado, por Pedro Mexia, na Praça LeYa, o livro "Se eu fosse chão", de Nuno Camarneiro, autor que venceu o Prémio LeYa, em 2012, com o romance "Debaixo de Algum Céu".
 
Sobre "Se eu fosse chão", as PDQ afirmam, em comunicado, que retrata "personagens da história portuguesa em diversas épocas", como "hóspedes de um hotel".
 
Os 50 anos da PDQ vão ser ainda recordados na Feira através de "um espaço próprio, em que se apresentarão fotografias de época, documentos, etc.", contou João Amaral, editor do grupo, aos jornalistas, no mês passado, quando do anúncio das iniciativas do cinquentenário.
 
A peça de teatro "Azeitonas de Casamento", de Alice Vieira, vai ser apresentada pela autora, no espaço da LeYa, no sábado, pelas 18:30. Este livro, uma "edição especial, limitada e gratuita", resulta do curso de escrita criativa da escritora.
 
No mesmo dia, na Praça LeYa, é gravado ao vivo o programa radiofónico "A páginas tantas", da Antena 1, que conta com a participação das escritoras Inês Pedrosa, Rita Ferro, Patrícia Reis e da jornalista Ana Daniela Soares.
 
"Amores de família", de Carla Maia de Almeida, "Segue o teu sonho", de Pedro Carvalho e Francisco Salgueiro, "Estrada dos silêncios", de Carlos Vale Ferraz, e "A cantora deitada", de Sandro William Junqueira, são alguns dos livros que vão ser apresentados pela LeYa no certame, além das mais de uma centena de sessões de autógrafos.
 
As autoras da série "Uma aventura...", Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, vão estar neste espaço, na terça-feira, pelas 14:30, para entregar os prémios do concurso literário associado à coleção.
 
No dia 04 de junho, pelas 21:30, destaca-se a apresentação, por Marcelo Rebelo de Sousa, do livro "Assim nasceu Portugal", de Domingos Amaral.
 
Nas tardes de fim de semana e nos feriados, a Praça LeYa conta ainda com a presença de mascotes de personagens do universo literário infantojuvenil, como Ruca, Docinho de Morango, Vampiro Valentim, Astérix e o seu inseparável companheiro Obélix.
 
A 85.ª Feira do Livro de Lisboa, com um número recorde de 123 participantes e 271 pavilhões, decorre até 14 de junho. A organização espera acolher 600 mil visitantes, outro número recorde para a edição deste ano.