Arquitectura premeia Centro Social da Ramalha

Arquitectura premeia Centro Social da Ramalha

O projecto do edifício do Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro na Ramalha (Creche e Jardim de Infância), da autoria dos arquitectos Victor Mestre e Sofia Aleixo, foi o vencedor do Prémio Municipal de Arquitectura “Cidade de Almada” 2008/2010. A cerimónia de entrega desta distinção realiza-se hoje, dia 13 de Setembro, pelas 18 horas, no Museu da Cidade de Almada.

O júri reconheceu este trabalho pelo seu “equilíbrio, harmonia e proporção dos volumes, o seu enquadramento e articulação com a envolvente, a sua organização funcional e adequação ao programa e as soluções encontradas relativamente ao conforto térmico e acústico do edifício”.

Considerou ainda este projecto como um “exemplo de intervenção e reconversão de uso de um edifício com valor patrimonial, contribuindo, no seu conjunto, enquanto exemplo de boas práticas, para a progressiva elevação dos padrões de qualidade do espaço edificado do concelho”.

Inaugurado em Setembro de 2010, este projecto para além de dotar o concelho com mais um equipamento para a infância recuperou um antigo edifício datado do século XV, que estava praticamente em ruína. Por proposta de Padre Ricardo Gameiro (falecido em Dezembro de 2011) à Câmara de Almada, a antiga Capela de S. João da Ramalha foi recuperada e os terrenos circundantes usados para instalar um equipamento social.

“O projecto privilegiou o património existente, valorizando a quinta e respeitando o seu carácter religioso, tendo sempre a capela como referência. Quisemos criar ainda ideia de sonho das crianças, com a construção de uma casinha branca entre a capela e a casa da quinta”, expressava a arquitecta Sofia Aleixo na altura da inauguração.

O júri decidiu ainda atribuir uma menção honrosa ao projecto da moradia na Rua Manuel da Fonseca, 38, Vale Bem, na Charneca de Caparica, da autoria do arquitecto Carlos Pinto Velosa, que teve a colaboração dos arquitectos Fernando Pires e Ângela Aguiar. (Espaço A3 – Arquitectura Personalizada). Foi reconhecida a “qualidade do seu desenho e articulação de volumes que evidencia uma linguagem arquitectónica controlada e inovadora que importa sublinhar enquanto exemplar valorizador da arquitectura corrente no concelho”.

 Até dia 13 de Outubro vão estar em exposição no Museu da Cidade todos os projectos admitidos ao concurso.