Mazda3 com novos argumentos

Mazda3 com novos argumentos

Pequenos retoques, mais equipamento e motores actualizados na nova geração do Mazda3
O mais popular dos modelos da Mazda apresenta-se agora de cara lavada e com argumentos renovados ao nível da eficiência. Assente nas suas duas carroçarias tradicionais (‘hatchback’ de cinco portas e sedan, de quatro) o novo Mazda3 distingue-se pelos retoques estéticos, nomeadamente no pára-choques frontal, nas novas jantes de 16 e 17 polegadas e na introdução de um ‘spoiler’ traseiro no tejadilho que confere um estilo desportivo à versão ‘hatchback’, testada pelo JR.
Para além disso, há a registar a introdução de luzes diurnas de LED à frente, no âmbito do denominado ‘Light Power Pack’, que inclui de série um ‘tablet’ eZee’Tab702 e um GPS TomTom.
Já no interior realça-se a nova cor preta para a consola central inferior, que contrasta com os anéis cromados brilhantes nos comandos. Destaque ainda para o indicador de troca de mudanças, para uma optimização da condução e melhor eficiência de consumos, e para o versátil sistema de mãos-livres Bluetooth para telemóveis e leitores de música, já existente na anterior geração.
Em Portugal, o Mazda3 apresenta-se com duas motorizações actualizadas e mais eficientes do ponto de vista ambiental e nas performances, com destaque para o propulsor MZ-CD 1.6 turbodiesel commonrail, de 115 cv e 270 Nm de binário (1750 a 2500 rpm) e caixa manual de seis velocidades. A marca garante emissões de apenas 115 g/km, ou seja, menos 1,7% face à versão anterior e consumos médios na casa dos 4,3 l/100 km. Porém, no teste de estrada efectuado pelo JR, nunca conseguimos baixar dos 6,2 l/100 km, o que mesmo assim é bastante positivo para o sangue na guelra manifestado pelo modelo nipónico.
Disponível está também a motorização MZR 1.6 a gasolina, de 105 cv, com transmissão manual de cinco velocidades.
Com três níveis de equipamento (Exclusive, Exclusive Plus e Sport), o Mazda3 está recheado de itens de segurança e de ajuda à condução, com destaque para os ABS, EBD, DSC, assistência à travagem e sistema de controlo de tracção (TCS) de série, tendo como opcionais os sensores de estacionamento, faróis bi-xénon com sistema adaptativo e iluminação frontal.
Os preços variam entre 21 460 euros e os 28 380.

 

O novo Mazda3 apresentado pelo marca:

 

 
A Mazda Motor de Portugal acaba de introduzir em Portugal a mais recente geração do Mazda3, o mais popular dos modelos do construtor nipónico, cujas vendas se aproximam rapidamente da fasquia dos três milhões de unidades a nível global. As suas características – que já lhe valeram mais de uma centena de prémios e distinções nacionais e internacionais, incluindo galardões de ‘Car of the Year’ – surgem agora mais destacadas e transversalmente integradas no produto, nomeadamente nos capítulos do conforto, da dinâmica e do design, bem como nos consumos e emissões das eficientes mecânicas, ou dos elevados conteúdos, numa proposta que a Rede de Concessionários Mazda agora iniciou a comercialização no nosso país.
A gama do renovado Mazda3 assenta nas duas carroçarias tradicionais – hatchback (HB) de cinco portas e sedan (CS) de quatro portas – conjugadas com os dois amplamente reconhecidos, mas entretanto actualizados, motores de 1,6 litros: MZR 1.6 a gasolina (105 cv) e MZ-CD 1.6 turbodiesel commonrail (115 cv). No que se refere a níveis de equipamento são propostos três: Exclusive, Exclusive Plus e Sport (este apenas para as propostas diesel).
No que se refere a preços, a variante de acesso à gama é o Mazda3 MZR 1.6 HB Exclusive 5p, proposto por 21.460 euros (com pintura sólida), e a versão mais recheada de conteúdos será o Mazda3 MZ-CD 1.6 CS Sport 4p, à venda por 28.380 euros (com pintura metalizada).
 

O facelift do Mazda3 em resumo:

No exterior e face à geração até agora em comercialização, destaca-se o pára-choques frontal de novo design para um maior apelo emocional e eficiência aerodinâmica, novas jantes de 16 e 17 polegadas que garantem uma silhueta mais dinâmica, e uma palete de oito cores exteriores, incluindo o novo tom Bronze. A variante hatchback apresenta características mais desportivas, nomeadamente ‘spoiler’ traseiro no tejadilho, sendo o sedan mais elegante.
Já no interior realça-se a nova cor preta para a consola central inferior, que contrasta com os anéis cromados brilhantes nos comandos para um mais rápido reconhecimento durante a condução. O ‘display’ multi-informativo (MID) tem novo grafismo a branco (sobre um fundo cinza, com iluminação contínua, no conta-quilómetros). Destaque para o indicador de troca de mudanças, para uma optimização da condução e melhor eficiência de consumos, e para o travão de mão com novo padrão de couro no punho para todas as versões, no alinhamento da nova alavanca de mudanças em couro. O versátil e prático sistema de mãos-livres Bluetooth® para telemóveis e leitores de música transita da actual geração.
Na vertente dinâmica, a aplicação do conceito Toitsukan garante transições suaves entre as forças G (de aceleração, laterais e de desaceleração) numa sensação de condução mais linear e consistente. Outras actualizações surgem ao nível da estrutura, mais rígida graças a novos reforços, do amortecimento optimizado e na direcção de melhor resposta, para além das melhorias nos níveis de NVH, isolantes dos ruídos de rolamento, garantindo um habitáculo mais silencioso.
Debaixo do capot respiram dois blocos já conhecidos, um a gasolina, outro diesel. O motor MZ-CD 1.6 turbodiesel tem 85 kW/115 cv de potência máxima, garantindo ainda uns robustos 270 Nm de binário entre as 1.750 e as 2.500 rpm. Tais prestações garantem – na versão hatchback com caixa manual de 6 velocidades – um consumo médio de apenas 4,3 lts/100 km em circuito combinado, ou seja, menos 2,3% do que anteriormente, produzindo uns baixos 115 g/km de CO2 (menos 1,7%). Já o motor MZR de 1,6 litros a gasolina, naturalmente aspirado com transmissão manual de cinco velocidades produz 77 kW/105 CV às 6.000 rpm e 145 Nm de binário máximo às 4.000 rpm. 
Os consumos médios são de 6,4 lts/100 km e as emissões de 147 g/km de CO2 (contra as anteriores 149 g/km).
No domínio da segurança, o grupo de soluções de segurança passiva integra airbags frontais, laterais e de cortina de série, sistemas dianteiros activos para a protecção da cabeça e do pescoço no efeito ‘chicote’, duplo pré-tensor dos cintos de segurança com limitador de esforço e retracção (LLR), pedal de travão retráctil, almofadas abaixo da área do calcanhar, coluna de direcção com absorção de energia, barras de absorção de energia e outros elementos optimizados para uma boa protecção dos ocupantes e dos peões, com destaque para o Sistema de Absorção e Distribuição da Energia de Impacto da Mazda. Já a segurança activa integra elementos como o ABS, EBD, DSC, assistência à travagem e sistema de controlo de tracção (TCS) de série, sinal de travagem de emergência (ESS), que adverte os veículos que circulam atrás de uma manobra de travagem repentina, activando imediata e automaticamente as luzes de emergência, de série, conjunto que pode ser incrementado com outras soluções opcionais, como o sistema de monitorização da traseira do veículo, sensores de estacionamento, faróis bi-xenon com sistema adaptativo de iluminação frontal.

Novo Mazda3