Área Metropolitana de Lisboa contra subconcessão da Carris e do Metro de Lisboa

Área Metropolitana de Lisboa contra subconcessão da Carris e do Metro de Lisboa
O primeiro secretário da Comissão Executiva da Área Metropolitana de Lisboa afirmou hoje no parlamento que "existe um parecer amplamente favorável" da parte da instituição ao cancelamento da subconcessão da Carris e do Metropolitano de Lisboa.
 
Demétrio Alves falava na segunda audiência do grupo de trabalho para debater os projetos de lei do PCP e do BE para a reversão da subconcessão dos transportes urbanos, que hoje está a ouvir representantes das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.
 
Na opinião do dirigente da Área Metropolitana de Lisboa (AML), seria necessário efetuar uma "transição cautelosa e feita com passos bem ponderados", através de um "período transitório de financiamento das autoridades mais alargado".
 
"Verificamos evidentes sinais de que é conveniente fazê-lo em visão sistémica e não município a município", advogou.
 
Para Demétrio Alves, as soluções encontradas devem ser "as mais consentâneas" relativamente ao funcionamento do serviço para as populações, sendo necessário esclarecer questões como o financiamento público, as compensações financeiras ou as indemnizações compensatórias.
 
"Devia ser feito um estudo da mobilidade atual e da mobilidade desejável para definir quem deve fazer o quê", tendo em conta "quatro direções fundamentais: competitividade, coesão territorial, socioeconómica e ambiental", defendeu.
 
O responsável afirmou também que após "uma quebra brutal da procura" desde 2010, "está a assistir-se a uma ligeira retoma da procura dos transportes públicos em vários operadores".
 
Do lado da oferta, assistiu-se a uma quebra de "670 para 450 linhas, uma redução fruto de uma otimização comercial da exploração deste serviço".
 
Esta redução mereceu a crítica da AML, pois "não teve em condição os valores do serviço público que tem de ter esta atribuição".
 
O antigo presidente de Câmara de Loures respondia às perguntas dos deputados em representação dos grupos parlamentares do PSD, PS, BE, CDS-PP, e PCP.
 
Durante a audiência, Demétrio Alves considerou também necessário "preparar, estudar e concretizar um alargamento das coroas do zonamento da Área Metropolitana de Lisboa", defendendo um "aumento da intermodalidade do sistema de transportes".
 
O parlamento aprovou, no final de novembro, a discussão na especialidade dos dois projetos de lei apresentados pelo PCP e quatro pelo Bloco de Esquerda para o cancelamento e reversão dos processos de subconcessão dos transportes públicos de Lisboa e do Porto.