Amigos dos Jamor contra projecto da Cidade do Futebol

Amigos dos Jamor contra projecto da Cidade do Futebol

A Liga dos Amigos do Jamor, grupo defensor daquela zona de Oeiras, está "chocada" com o projecto de construção da Cidade do Futebol, que vai albergar as selecções nacionais junto do Estádio Nacional.

Em declarações à agência Lusa, a presidente do grupo, Margarida Novo, afirmou que a intenção "não faz sentido nenhum" e que o projecto é "perfeitamente inútil".

"Trata-se de uma estratégia deliberada de urbanizar todo o Jamor e não podemos concordar com isso", disse.

Em comunicado, a Liga dos Amigos do Jamor diz-se "chocada", mas admite não ficou surpreendida porque "há muito que se habituou aos desmandos dos ministros que sucessivamente têm tutelado o desporto em Portugal, bem como à promiscuidade existente entre interesses vários escondidos sob a capa do desporto e a política".

"Na actual conjuntura económica, a Liga dos Amigos do Jamor entende ainda que, se faz falta uma casa das selecções e se a Federação Portuguesa do Futebol (FPF) tem os muitos milhões para a sua construção, o país provavelmente veria com bons olhos se fosse promover o futebol para outro lado, por exemplo, junto a um dos vários estádios abandonados que financiámos com os nossos impostos e que sobraram do Euro 2004, promovendo assim simultaneamente a descentralização e o desenvolvimento regional, criando ainda emprego em zonas deprimidas do país", lê-se.

O projecto da Cidade do Futebol foi apresentado no início deste mês pelo ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, e contempla dois núcleos: o núcleo 1, onde está o 'core' da Cidade do Futebol, e o núcleo 2, destinado às equipas jovens, ao futebol feminino e às outras modalidades.

As duas áreas dividem-se por sete hectares. A primeira, a principal, para o treino, gestão e apoio logístico das selecções, e a segunda para os jovens e selecções femininas, orientado para a formação.

A estrutura inclui vários campos de treinos nas duas áreas e no primeiro existirá também um campo principal com bancada para mil espectadores.

Outra previsão para a Cidade do Futebol é que a mesma venha a agregar a logística da Federação Portuguesa de Futebol, que aí passará a ter os seus serviços e sede.

A conclusão do projecto está prevista para Dezembro de 2013 e a adjudicação da obra deverá acontecer em Janeiro de 2014, estimando-se um prazo de 18 meses para a execução dos trabalhos, pelo que a Cidade do Futebol poderá estar edificada, na melhor das hipóteses, no segundo semestre de 2015.

A construção deste espaço foi um dos principais pontos do programa de candidatura de Fernando Gomes à presidência da FPF e é uma infraestrutura há muito ambicionada pelo organismo.