Amadora volta a ser capital da banda desenhada

Amadora volta a ser capital da banda desenhada
O Festival Internacional de Banda Desenhada AmadoraBD abriu portas com exposições, lançamentos editoriais e sessões de autógrafos. O tema desta edição é a representação do tempo e do espaço na nona arte.
   
O Fórum Luís de Camões, na Brandoa, é o local central do AmadoraBD, onde acontece a maioria da programação, até 06 de novembro.
 
A obra dos autores Hergé, Hugo Pratt e Moebius servirá para ilustrar o tema central do AmadoraBD, sobre a forma como o tempo e o espaço são desenhados na banda desenhada, e a relação desta com a arquitetura e com o cinema.
 
Marco Mendes é o autor português em destaque, com uma exposição que desvenda o processo criativo do álbum "Zombie", premiado em 2015.
 
Em parceria com o Clube Português de Banda Desenhada, o AmadoraBD associa-se aos 70 anos da criação da personagem Lucky Luke, de Morris.
 
Estão previstas ainda exposições dedicadas aos livros "Democracia", de Alecos Papadatos e Abraham Kawa, e "Papá em África", de Anton Kannemeyer. Estes autores estarão na AmadoraBD para contactos com o público.
 
Os livros para a infância "Daqui ninguém passa", de Bernardo Carvalho, e "O tempo do gigante", de Carmen Chica e Manuel Marsol, também terão espaço expositivo nesta edição.
 
Este ano estão confirmadas ainda as presenças, entre outros, de António Altarriba e Kim, autores da BD "A asa quebrada", Eloar Guazzelli Filho, Marcelo Quintanilha e Tony Sandoval.