Amadora vê prolongamento do metro como passo importante na Área Metropolitana

Amadora vê prolongamento do metro como passo importante na Área Metropolitana
A presidente da Câmara da Amadora, Carla Tavares, considera que o prolongamento da Linha Azul do metropolitano à Reboleira representa “um passo importantíssimo na mobilidade no concelho”, mas também para a Área Metropolitana de Lisboa.
 
A autarca socialista falava à agência Lusa durante a inauguração da nova estação da Reboleira, que criou uma ligação da Linha Azul, a partir da estação Amadora Este, com a linha ferroviária de Sintra.
 
A nova estação “é um passo importantíssimo na mobilidade no concelho, não só para a Amadora, mas para esta área metropolitana norte, nomeadamente para os concelhos de Amadora e Sintra”, afirmou Carla Tavares.
 
“Hoje cumpre-se aquilo que era um desígnio desde 2010, que é termos a ligação do metro à ferrovia e, simultaneamente, termos também nesta zona um interface de todos os transportes rodoviários”, frisou.
 
A autarquia vai estudar medidas que incentivem os estudantes até aos 25 anos e a população sénior a utilizar o transporte público, prometeu a autarca, na cerimónia de inauguração.
Carla Tavares reforçou que o novo interface vai permitir articular os diferentes modos de transporte e apelou ao primeiro-ministro António Costa para que o metro venha a concretizar o antigo projeto de prolongar a rede ao Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra).
 
A par das obras do metro, a autarquia avançou com uma intervenção na Avenida D. Carlos I, para aumentar o estacionamento, reforçar a iluminação pública, criar zonas de estadia e fazer a ligação da pista de caminhada da Reboleira ao centro da cidade.
 
A intervenção, com “um investimento de cerca de 600 mil euros”, teve como objetivo requalificar o espaço público entre o Bingo do Estrela da Amadora e a estação da Damaia, incluindo a valorização dos 600 lugares do parque de estacionamento da Infraestruturas de Portugal (ex-Rede Ferroviária Nacional) e uma centena de lugares junto ao interface da Reboleira.
 
A nova estação entrou em funcionamento às 13:00 de quarta-feira, dia 13, e prolonga a Linha Azul da rede de metro até à Reboleira, numa extensão de 594 metros, representando um investimento de 59,9 milhões de euros, comparticipados em 43,4 milhões pela Comissão Europeia.
 
Segundo o metropolitano, o prolongamento a partir da atual estação de Amadora Este, na Falagueira, vai permitir “viajar entre Reboleira e Marquês de Pombal em 19 minutos e entre Reboleira e Baixa-Chiado em 24 minutos”.
 
A Linha Azul passa a ter uma extensão de 13,7 quilómetros, com 18 estações entre a Reboleira e Santa Apolónia (Lisboa).