Amadora: Obras do parque urbano novamente adiadas

Amadora: Obras do parque urbano novamente adiadas

Trabalhos começaram em Junho, mas voltaram a parar. Câmara exige cumprimento de prazos.
Quando tudo levava a crer que o avanço dos trabalhos seria irreversível, para satisfação dos moradores, as obras de construção do futuro parque do Neudel, na Damaia, estão de novo paradas. Os moradores, que há vários anos aguardam pela transformação do terreno baldio junto às suas habitações numa área de lazer, não escondem o seu desalento e alguma indignação e fizeram questão de o demosntrar num pedido de esclarecimentos ao executivo da Câmara da Amadora (CMA).
Depois de muitos protestos e de uma promessa da edilidade de que a obra iria avançar, em Junho deste ano foram vistas máquinas em actividade no local. Começavam, assim, os primeiros trabalhos de preparação e nivelamento do solo. Porém, de um dia para o outro, a azáfama de máquinas e operários desapareceu por completo, para desalento de quem ali reside: “Há cerca de três meses que está tudo parado de novo”, queixava-se o morador António Bito durante o período destinado à intervenção dos munícipes, na última Assembleia Municipal, realizada a 29 de Novembro.
Confrontado com esta questão, o presidente da CMA, Joaquim Raposo, mostrou-se preocupado com a paragem dos trabalhos e admitiu já ter tido “uma reunião marcada com os técnicos responsáveis”. “Não estou satisfeito por ver as obras do parque novamente paradas”, mas, “embora sem saber quando, o parque vai ter de ficar pronto”, garantiu.
Recorde-se que, em Junho de 2010, a autarquia assinou um protocolo com a empresa Alpabrantes – Planeamento, Desenvolvimento Urbano SA, para dar lugar à viabilização do Parque Urbano. A obra seria implementada numa área de cerca de 40 mil metros quadrados, com espaços públicos de lazer, um edifício multifunções, uma esplanada, um quiosque de apoio e vários equipamentos lúdicos.
Para a construção de um parque urbano no local foi necessária a elaboração de um Plano de Pormenor, aprovado em Conselho de Ministros. A abertura de um posto de combustíveis de baixo custo nas imediações da urbanização está agora dependente da construção do parque.