Amadora: Figuras públicas em campanha contra o preconceito

Amadora: Figuras públicas em campanha contra o preconceito
A cantora Ana Bacalhau, a atriz Carla Chambel, o jornalista Joaquim Franco e o judoca Nuno Delgado dão a cara pela campanha “Não Alimente o Rumor”, promovida pela Câmara da Amadora para “desmistificar preconceitos” em relação aos imigrantes.
A iniciativa, com lançamento na quarta-feira, insere-se no projeto C4i (Communication for integration: social networking for diversity), do Conselho da Europa e cofinanciado pela Comissão Europeia, no âmbito do Fundo Europeu para a Integração de Nacionais de Países Terceiros.
O projeto privilegia as redes sociais e canais de informação virais para passar informação sobre a imigração e a diversidade para combater mitos e equívocos que colocam em risco a coesão social, anunciou a autarquia da Amadora.
A câmara desenvolveu a estratégia de comunicação, que tem como símbolo um papagaio, com base num estudo do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, que aborda questões relacionadas com a vida e o emprego da comunidade imigrante.
O estudo do ISCTE procurou responder a cinco “rumores” relacionados com a comunidade estrangeira: “os imigrantes não querem nem gostam de trabalhar”, “os imigrantes vivem à custa dos subsídios e apoios do Estado”, “os imigrantes estão ligados à criminalidade”, “crianças imigrantes só trazem problemas às escolas” e “os imigrantes roubam trabalho aos portugueses”.
Em 2011, de acordo com o estudo, “12,2% do total de empregadores do município da Amadora tinham nacionalidade estrangeira” e, “dos cidadãos estrangeiros empregados, 60,5% eram profissionais semiqualificados (especializados) ou qualificados”.
O estudo confirmou que, no saldo das receitas e despesas da Segurança Social, “a contribuição dos imigrantes é positiva” e que, em 2012, na Amadora, “81,4% dos beneficiários apoiados pelo Rendimento Social de Inserção eram portugueses e 18,6% tinham nacionalidade estrangeira”.
À semelhança do que acontece na Europa, os imigrantes têm compensado a quebra demográfica, e os nascimentos em casais estrangeiros na última década contribuíram para o aumento da taxa de natalidade no país.
No aproveitamento escolar, em 2013, o agrupamento de escolas do concelho “com mais alunos de diferentes nacionalidades apresentou uma melhoria significativa nos resultados das provas finais de 4.º ano (8% em Português e 13% em Matemática), comparativamente a 2012”, revelou o estudo. 
Inspirada na campanha “anti rumores”, desenvolvida em 2010 pelo município de Barcelona, o projeto envolve também Bilbao, Sabadell (Espanha), Amadora, Loures (Portugal), Botkyrka (Suécia), Erlangen, Nuremberga (Alemanha), Limerick (Irlanda), Lublin (Polónia) e Patras (Grécia).
Ana Bacalhau, dos Deolinda, Carla Chambel, Joaquim Franco e Nuno Delgado estão entre os cidadãos convidados a participar como agentes “anti rumores”, com ligação passada ou presente à Amadora.
A presidente da autarquia, Carla Tavares (PS), explicou à Lusa que os “agentes anti rumor” funcionarão também nas escolas e associações da cidade, onde pessoas, “pelo contacto que têm com a população da cidade, podem ter um papel de facilitadores e multiplicadores” na disseminação da informação, contribuindo para eliminar preconceitos.
Na Amadora, a comunidade imigrante representa 10% dos 175 mil habitantes, com 41 nacionalidades diferentes.