Amadora define zonas vitais para requalificação

Amadora define zonas vitais para requalificação

Amadora 2025” é o nome do projecto que será lançado pela Câmara Municipal da Amadora (CMA), com o intuito de construir “uma cidade melhor”, através da “definição de zonas vitais”, anunciou Joaquim Raposo, presidente da autarquia, no decorrer do seminário subordinado ao tema “Da reabilitação urbana à reabilitação da urbanidade: o Projecto da Av. Santos Mattos”, que decorreu no dia 4 de Junho, no edifício dos Recreios.

Para o autarca, “as obras efectuadas na Avenida Santos Mattos são um exemplo do que é possível fazer, em termos de reabilitação,” sustentando que “é necessário um projecto mais global e abrangente para a toda a cidade”.

A mesma ideia defendeu igualmente Margarida Pereira, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, ao elogiar a iniciativa, afirmando ser “de louvar a ousadia da CMA em avançar com este projecto”.
O seminário, que colheu o interesse de estudantes universitários, técnicos de várias autarquias da Área Metropolitana de Lisboa, investigadores, dirigentes da administração local e central, autarcas, responsáveis associativos, bem como comerciantes e residentes da avenida intervencionada, serviu igualmente para que os técnicos responsáveis pelo projecto pudessem demonstrar e debater como foi possível a intervenção, numa das principais artérias da cidade.
Telma Correia, directora do Departamento de Habitação e Reabilitação Urbana da CMA, demonstrou como foi possível envolver comerciantes e residentes para um projecto que “não teria sido possível sem a participação de todos os implicados”. Com este objectivo, dezenas de reuniões foram feitas, em parceria com associação comercial, empreiteiro e projectistas e, no final, a conclusão é clara: “81% dos comerciantes achou que o modelo deveria ser aplicado noutras zonas da cidade, 27% efectuou obras durante a intervenção e 19% manifestou a intenção de vir efectuá-las”.