Alexandre Mestre rejeita polémica sobre valor dos prémios de mérito desportivo

Alexandre Mestre rejeita polémica sobre valor dos prémios de mérito desportivo
O secretário de Estado do Desporto escusou-se a entrar na polémica relativa aos valores dos prémios monetários dos medalhados nos Jogos Olímpicos de Londres, assegurando que o objetivo do governo é “nunca falhar perante os atletas”.
À entrada para a cerimónia de entrega dos prémios de obtenção de resultados de mérito desportivo 2012, Alexandre Mestre desvalorizou as críticas do presidente da Federação Portuguesa de Canoagem, Mário Santos, de que a modalidade foi desapossada indevidamente de 112 mil euros no último ano com a “errada leitura da lei” dos prémios de mérito à prata olímpica do K2 e ao ouro europeu do K4.
Em causa está a interpretação da lei quanto ao valor dos prémios coletivos, designadamente se o montante deve ser repartido pelos atletas, como definiu o Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), ou se é pago individualmente, como reclamam os atletas.
“Eu, como membro do governo, só tenho é que respeitar e confiar em absoluto naquilo que os serviços do IPDJ, o departamento jurídico, fazem”, sustentou o secretário de Estado.
Alexandre Mestre recordou que o parecer do IPDJ é “igual ao que foi feito no ano passado” e que não mereceu contestação por parte dos atletas da canoagem que alcançaram a prata olímpica nos jogos de Londres.
“Os critérios que não foram colocados em causa o ano passado estão a sê-lo este ano. Em todo o caso, resta-me seguir as orientações do departamento jurídico do IPDJ”, assinalou o responsável pela pasta do Desporto.
Alexandre Mestre preferiu colocar o acento tónico na necessidade de garantir o pagamento atempado dos prémios, de modo a “nunca falhar perante os atletas”, mesmo em períodos de contenção orçamental.
Quando chegou à secretaria de Estado, o titular do Desporto garantiu que encontrou atrasos no pagamento de prémios relativos a 2009 e deu ordem para que fossem regularizados.
Em declarações à agência Lusa, Fernando Pimenta mostrou-se descontente com a decisão do IPDJ, mas remeteu uma decisão final para as entidades competentes.
“Vou continuar a treinar, como tenho feito. Claro que se recebesse o prémio na totalidade, claro que era outra motivação. Sacrificamo-nos durante anos e anos e ganhamos a única medalha nos Jogos Olímpicos. Estávamos à espera de um valor, saiu-nos a moeda furada, agora as entidades competentes é que vão resolver isso”, acentuou.
Na cerimónia de hoje foram distribuídos prémios num montante superior a 283 mil euros, quase 120 mil para os atletas.
Jéssica Augusto, Patrícia Moreira, Dulce Félix, Sara Moreira, Emanuel Silva, Fernando Pimenta, Lenine Cunha, Gabriel Potra, José Alves e Firmino Batista foram alguns dos atletas olímpicos e paralímpicos que hoje receberam os prémios de mérito desportivo.