Álbum 'Ruy Coelho - O violino d’Orpheu' apresentado na próxima semana em Sintra

Álbum 'Ruy Coelho - O violino d’Orpheu' apresentado na próxima semana em Sintra
O álbum “Ruy Coelho - O violino d’Orpheu” é apresentado na próxima semana, na Quinta da Regaleira, em Sintra, nos arredores de Lisboa, anunciou o Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa (MPMP), que chancela a edição.
 
O MPMP refere-se ao CD, como “a música da geração d'Orpheu revisitada”, estando a apresentação agendada para a próxima terça-feira, às 18:30, num concerto pelo violinista Alexander Stewart e o pianista Philippe Marques.
 
O CD inclui duas sonatas para piano e violino (de 1912 e 1916) e duas obras “em estreia discográfica absoluta”, um trio para violino, violoncelo e piano (1916) e “Largo” (1912), uma obra para duas violetas, dois violoncelos e piano”, peças interpretadas por Alexander Stewart e Philippe Marques, e ainda por músicos do Ensemble MPMP.
 
Segundo a mesma fonte, as partituras destas peças encontram-se depositadas na Biblioteca Nacional, em Lisboa, tendo sido estudadas e editadas, modernamente, pelo musicólogo Edward Luiz Ayres d'Abreu, que defendeu, em 2014, uma dissertação de mestrado sobre o mesmo tema na Universidade Nova de Lisboa.
 
Ruy Coelho (1889-1986) foi “o único compositor a conviver proximamente com as figuras mais proeminentes da geração da revista Orpheu, marco indelével na história do modernismo em Portugal”, realça o MPMP no mesmo comunicado.
 
Por ocasião do centenário da revista Orpheu, o MPMP “reuniu em CD obras representativas da época em que Ruy Coelho partilhava ambições e desilusões com Mário de Sá-Carneiro, Fernando Pessoa, Almada Negreiros, Santa-Rita Pintor, Amadeo de Souza-Cardoso ou Eduardo Vianna, entre outros, que testemunham ainda o rápido amadurecimento e o espírito intrépido com que começou a sua carreira como compositor, depois do período de estudos em Paris e em Berlim (1909-1913), onde contactou com Engelbert Humperdinck, Max Bruch e Arnold Schoenberg com o apoio de alguns amigos, e de António Augusto Carvalho Monteiro, que idealizou e foi o primeiro proprietário da Quinta da Regaleira”.