Agregação de oito autarquias em Loures "penaliza" o município - presidente

Agregação de oito autarquias em Loures "penaliza" o município - presidente

O presidente da Câmara de Loures, Carlos Teixeira (PS), afirmou hoje que a proposta de agregação de oito das 18 freguesias do concelho “penaliza muito o município” e prometeu opor-se a essa intenção.
“Não existem razões objetivas para que extingam qualquer freguesia do nosso concelho. Somos o quinto maior concelho do país. Iremos fazer tudo aquilo que está ao nosso alcance para que isto não se concretize”, referiu o autarca à agência Lusa.
A proposta de reorganização administrativa pela Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território, já entregue na Assembleia da República, define para o concelho de Loures a redução das atuais 18 para 10 freguesias.
O documento prevê a agregação das freguesias da Bobadela com São João da Talha e Santa Iria da Azoia, de Camarate com Apelação e Unhos, da Portela com Moscavide, de Santo António dos Cavaleiros com Frielas, de Sacavém com Prior Velho e de Santo Antão do Tojal com São Julião do Tojal.
   “Na próxima reunião de câmara vamos falar sobre este assunto, mas a nossa opinião mantém-se a mesma”, reiterou.
   No concelho de Loures, que tem uma área de 168 quilómetros quadrados, residem atualmente cerca de 200 mil habitantes.
   No âmbito da reforma administrativa do poder local, Loures perde uma parte do seu território, no Parque das Nações. Este bairro pertence também ao município de Lisboa, mas passa a fazer parte apenas da capital no próximo mandato autárquico, de acordo com o novo mapa da cidade já aprovado na Assembleia da República e publicado hoje em Diário da República.
   Segundo a edição de hoje do Jornal de Notícias, a proposta da unidade técnica prevê que, a nível nacional, 1.165 freguesias sejam agregadas, o que envolve mexidas em 230 municípios.
   Quarenta e oito câmaras ficaram dispensadas de apresentar propostas, por terem quatro ou menos freguesias, mas dos 278 municípios do continente (nos arquipélagos a decisão cabe às assembleias regionais) só 57 entregaram projetos de agregação de acordo com a lei, refere o jornal.