Agências funerárias na mira da ASAE

Agências funerárias na mira da ASAE
A ASAE instaurou três processos-crime relativos à especulação de preços e registou 10 contraordenação durante uma operação de fiscalização a agências funerárias realizada em todo o país durante o mês de novembro, anunciou hoje aquele organismo.
 
A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) adianta que durante a operação foram fiscalizadas 140 agências funerárias e instaurados três processos-crime relativos à especulação de preços.
 
Em comunicado, a ASAE refere também que registou 10 processos de contraordenação, sendo as principais infrações por falta de mera comunicação prévia, incumprimento dos deveres das agências funerárias, falta de preços e falta de catálogo com os artigos fúnebres e religiosos.
 
Segundo aquele órgão de polícia criminal, foram ainda efetuadas apreensões num valor total que rondou os 7.000 euros.
 
A ASAE refere que realizou, durante o mês de novembro em todo o país, uma operação de fiscalização dirigida às agências funerárias com o objetivo de garantir a transparência na atuação dos seus profissionais tendo em vista a defesa dos interesses dos consumidores.
 
De acordo com a ASAE, a atividade funerária consiste na prestação de qualquer serviço relacionado com a organização e realização de funerais, de transporte, inumação, exumação, cremação, expatriação e trasladação de cadáveres ou de restos mortais já inumados, tratando-se de uma atividade com uma expressiva relevância social.