28.ª Mostra de Teatro Amador de Oeiras arranca no Dia Mundial do Teatro

28.ª Mostra de Teatro Amador de Oeiras arranca no Dia Mundial do Teatro

A 28.ª edição da Mostra de Teatro Amador de Oeiras arranca no Dia Mundial do Teatro, 27 de março, decorrendo, até 17 de maio, em diversas salas de espetáculo do concelho.

Os treze grupos participantes apresentam várias propostas teatrais tornando-se assim a Mostra uma montra do trabalho que é desenvolvido por estes ao longo do ano.

A entrada nos espetáculos é livre, mediante a lotação das salas.

“Eu é que sou o primeiro”, de Israel Horowitz, é a peça apresentada pelo Intervalo Grupo de Teatro, a qual inaugura a Mostra, subindo ao palco do Auditório Municipal Lourdes Norberto, em Linda-a-Velha, no dia 27 de março, às 21H30. A encenação é de Armando Caldas.

Esta peça é uma resposta ao problema fundamental de uma certa cultura americana que pôs em prática o impraticável e inocente ideal de que todos os cidadãos podem acabar “(em) primeiro”, desde que se esforcem o suficiente.

 

Programa da Mostra de Teatro Amador de Oeiras 2014

 

27 de Março /21h30-  Auditório Municipal Lourdes Norberto

Intervalo Grupo de Teatro apresenta

“Eu é que sou o primeiro” de Israel Horowitz

Encenação Armando Caldas

Esta peça é uma resposta ao problema fundamental de uma certa cultura

Americana que pôs em prática o impraticável e inocente ideal de que todos os cidadãos podem acabar “(em) primeiro”, desde que se esforcem o suficiente. 

 

28 de Março /22H00 – Salão da Associação Cultural de Tercena

Grupo Cénico da Associação Cultural de Tercena apresenta

“A Farsa do Rei” de Susana Botica

Encenação Susana Botica

Sinopse

Num reino cheio de bondade e harmonia alguém conspirava contra o seu Rei, e este para descobrir o impostor ou os impostores embarca numa demanda. Fazendo passar-se por moribundo para tentar descobrir todo este enredo.

A estória revela até onde o Ser humano é capaz de chegar para conseguir alcançar os seus objetivos. Será que o Rei descobre o seu ou os seus traidores?

 

4 de Abril – 21H30 – Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Teatro da Matraca apresenta

“Sob pressão” de Teatro da Matraca

Encenação Vitor Martins

 

5 de Abril – 21H30 - Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Grupo Cénico do Grupo Recreativo de Leião apresenta

“Beijinho ao pai, beijinho à mãe”, Comédia musical de José Relvas

Trata-se de uma produção dirigida a toda a família com enfoque especial no público com mais de 50 anos.
Nesta comédia os personagens, um casal de jovens que continuam a viver em casa dos pais, preparam-lhes uma festa surpresa.
Esse é o pretexto para cantarem ao vivo grandes sucessos de sempre (Pó de arroz, Vocês sabem lá, Óculos de sol, New York New York e outros). Entre as músicas desenrolam-se momentos de comédia de grande interatividade com o público.

 

12 de Abril /21H30 – Auditório Municipal Ruy de Carvalho

CENCO apresenta

“GPS”, de Rui Ribeiro

Encenação Rui Ribeiro

Sinopse

Este espetáculo é um exercício de atores, na medida que “toca” um pouco vários géneros teatrais.

ESPELHO, MASCARA I E MASCARA II

O Homem, o ator, a mascara. A verdade mentirosa ou a mentira verdadeira do teatro.

(DES)CONVERSAS

A capacidade ou a falta dela de nos entendermos falando.

SEXOS

Conferência, na qual o orador nos leva a refletir sobre “A complexa simplicidade da relação e definição homem/mulher e ou mulher/homem, á luz dos factos, conceitos e preconceitos da sociedade portuguesa”.

TRONO

Olhar irónico sobre o poder. Sem palavras… Ou quase.

TRÁGICAS

Figuras da tragédia grega deambulam, cantando, as misérias da condição humana.

OURO

Pelo ouro, a humanidade é vítima e carrasco de si própria.

RENASCER DAS CINZAS

Tal como a Fénix (ave da mitologia grega), tinha a capacidade de ressuscitar das cinzas, assim a humanidade há-de ter essa mesma capacidade. Sejam as cinzas quais forem.

 

12 de Abril/ 21H30 – Salão do Grupo Recreativo de Tercena

Grupo Cénico do GRT apresenta

“O telefonema” de Carlos Coutinho

Encenação Graça Raimundo

M/6

SINOPSE

Peça que aborda época antes do 25 de Abril, onde um casal idoso, se debate com os problemas inerentes ao Estado Novo, visto que têm três filhos: um que morreu na guerra colonial, outro que é Agente da Pide e o terceiro ativista comunista.

A ação desenrola-se com a luta dos pais, para evitarem a prisão do filho ativista comunista  e a defesa da nora e dos netos que se encontram em perigo, e a desconfiança e incerteza em relação ao filho que pertence à pide e cujo principal objetivo é prender o irmão.

 

25 de Abril /17H00– Espaço  Nova Morada

Grupo Cénico Nova Morada apresenta

Uma nova maneira de contar Abril”- Teatro de Marionetas de Leandro Vale

Encenação – Leandro Vale

 

26 de Abril/21H30 – Salão da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Barcarena

Grupo Cénico da AHBVB apresenta

“Expediente de sogras” de F. Napoleão de Vitória

Encenação de Mário Pinto, Susana Pereira, Francisco Fernandes

M/12

SINOPSE:

Mário um advogado com auspiciosa carreira jurídica, tem marcado um encontro amoroso com Aurélia, que por sinal era amiga de Ernestina (esposa de Mário) e que estava separada do marido Negrão. Caso judicial defendido pelo ilustre advogado Mário. Ernestina descobre que o marido a enganava e conta tudo a seus pais Mafalda e Brito, que estavam de visita a Lisboa. Mafalda tudo fará para que o encontro do genro corra mal, acabando o seu marido (Brito) por sofrer (por engano), alguns contratempos destinados a Mário. O encontro amoroso decorreria num baile de máscaras, onde Mafalda irá com fantasia igual á da amante de Mário, e que consegue enganar na perfeição o advogado, conduzindo-o á sua própria casa, que tinha sido modificada por sua ordem, para que Mário pensasse que estava nos aposentos de Aurélia, e assim pudessem consumar a sua paixão e traição conjugal. Ao descobrir a verdade com a ajuda de Brito, consegue ludibriar Ernestina, que acaba por o perdoar.

 

2 de Maio/21h30 – Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Grupo Cénico 18 de Maio

“Salomé”  de Óscar Wilde, adaptação Isilda Paulo

Encenação Isilda Paulo

M/12

SINOPSE

Nestes tempos de crise que atravessamos é talvez estranho que a escolha do “Artes” tenha recaído sobre uma Tragédia. Mas, singularmente há imensas pontes e similaridades entre a história bíblica e a nossa própria história, de europeus, portugueses e pobres, e daí a vontade e o empenho de pegar neste texto.

“Salomé” trata de paixões, poder absoluto, insensatez, capricho, maldade, e completa insensibilidade pela triste sorte dos mais fracos, dos que têm os seus países ocupados, os seus bens perdidos, as suas almas desfeitas. Esta belíssima peça escrita em 1891, inspirada em cenas bíblicas de há dois mil anos é tão completamente atual, e retrata tão brilhantemente as nossas vidas e sentimentos de hoje, que até dói.

Óscar Wilde, poeta e dramaturgo maldito, foi perseguido e esteve preso. A peça Salomé foi proibida e impedida de aparecer escrita em inglês, língua mãe do seu autor, e estreada em Paris, em língua francesa. Tem corrido mundo, foi traduzida em diversas línguas, é polémica, contestada e aplaudida, adorada por uns, detestada por outros, mas mundialmente reconhecida como uma obra – prima.

O Grupo Artes espera que a humanidade profunda desta história densa, romântica e terrível atinja quem a vir.

 

4 de Maio /19h00 – Auditório Municipal Eunice Munõz

Grupo cénico da BOO apresenta

"O Beijo no Asfalto" de Nelson Rodrigues

Encenação Ana Carvalho

M/6

SINOPSE:
Um homem presencia um atropelamento e, ao socorrer a vítima, atende ao seu último pedido... diante de uma plateia de curiosos.
Logo a notícia estará nos jornais e a partir daí a sua vida nunca mais será a mesma.
 

10 de Maio/21H30 –  Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Grupo de Teatro da Academia Recreativa de Linda-a-Velha apresenta

"Que Grande Barafunda! (Posso Falar Agora Ou Ainda Temos Censura?) ", Baseada na peça de Roque e Lyra - "O Ilustre Conferencista"

Encenação de Miguel de Almeida.

Sinopse:

Um Doutorado em Economia e Políticas é convidado a fazer uma palestra sobre a Crise Económica, numa Coletividade, mas o tema é fastidioso e não reúne consenso geral. Além do mais, a sessão é de entrada livre e vão chegando alguns intervenientes que, ou não concordam com a realização da palestra, ou nem sequer percebem ao que vieram, entre outras muitas confusões que vão criando durante todo o tempo. Tudo isto resultará numa grande confusão e num final do qual ninguém escapará ileso...nem os móveis! Nisto tudo ainda se discute se teremos realmente, ou não, a Liberdade para expressar os nossos medos, anseios e opiniões.

 

11 de Maio/16h00 – Auditório Municipal Eunice Munõz

Grupo de Teatro Nova Atena apresenta

“As noivas de Santa Engrácia” de Ricardo Pinto Correia

Encenação Ricardo Pinto Correia

M/12

Sinopse: 

Um grupo de "jovens" casais, com idades compreendidas entre os 50 e 80 e muitos anos, decide recorrer a um programa, da TV Nova Atena, ao estilo das noivas de Sto. António. Isto, obviamente, para receberem apoio nos seus respetivos enlaces. E, no decorrer do programa, o apresentador de serviço vai apresentando os casais individualmente, acompanhados por um determinado ambiente musical (escolha dos nubentes) e de um vídeo ilustrativo do período de namoro. Durante as entrevistas aos noivos, as suas respostas, em relação ao que os leva a casarem-se, irá certamente surpreender o apresentador, assim como os (tele) espectadores...

 

17 de Maio/22h00 – Espaço Nova Morada

Grupo Cénico Nova Morada apresenta

“Não se ganha não de paga” de Dario Fo

Encenação Nuno Loureiro