'A noite das mil estrelas' de La Féria estreia dia 9 no Casino Estoril

'A noite das mil estrelas' de La Féria estreia dia 9 no Casino Estoril
O musical “A noite das mil estrelas”, de Filipe La Féria, estreia-se no dia 09 de abril, abrindo a temporada de espetáculos do salão Preto e Prata do Casino Estoril.
 
Escrito e encenado por Filipe La Féria, o espetáculo “propõe uma viagem pelos momentos mais emblemáticos da história do Casino Estoril, desde os anos 1930 à atualidade, fazendo ainda o enquadramento com a História de Portugal”, afirma a Estoril Sol em comunicado enviado à Lusa.
 
“Numa revisitação de grandes noites que marcaram diferentes épocas, este espetáculo homenageia as grandes estrelas que subiram ao palco do Casino Estoril com as suas músicas, lendas e ‘glamour’, como Amália, Elis Regina, Charles Aznavour, Júlio Iglésias, Liza Minnelli, Shirley Bassey, Nina Simone, entre mais de uma centena de personalidades”.
 
Segundo a mesma fonte, “A noite das mil estrelas”, além das memórias de palco, evoca personalidades que passaram por aquele espaço de lazer no arredores de Lisboa, como as princesas Grace do Mónaco e Margarida de Inglaterra, a imperatriz do Irão Soraya Esfandiary-Bakhtiari, o escritor Jorge Amado e o pintor Salvador Dali.
 
O elenco do novo musical de Filipe La Féria é constituído por Alexandra e Gonçalo Salgueiro, que protagonizaram anteriores musicais deste criador, e ainda Pedro Bargado, Vanessa, Rui Andrade, David Ripado, Dora, Claudia Soares, João Frizza e Catarina Mouro.
 
“Em palco, estarão, ainda, em evidência, um corpo de bailarinos, vários acrobatas e uma orquestra”, adianta a mesma fonte.
 
O Casino Estoril, a cerca de 20 quilómetros de Lisboa, foi fundado por Fausto Figueiredo, em 1916, que tinha o projeto de tornar a região de Cascais uma zona balnear de luxo, a exemplo da Côte d’Azur, no sul de França.
 
Em 1958 o Casino passou para a posse do empresário Teodoro dos Santos, sob a égide de quem, na década seguinte, foi ampliado, segundo a traça dos arquitetos Filipe Nobre de Figueiredo e José Segurado, com o design de interiores de José Espinho e Daciano da Costa.
 
A cançonetista Madalena Iglésias, que várias vezes atuou no Casino, numa entrevista à Lusa, sublinhou a importância deste palco que representava, nas décadss de 1960 e 1970, “o mais importante cartão-de-visita para se atuar no estrangeiro”.
 
“Uma fotografia a atuar no palco do Casino Estoril abria as portas dos agentes no estrangeiro”, disse a criadora de “Ele e ela”.
 
Desde 1990, os espetáculos nesta sala foram da autoria de Júlio César, Michael McPherson e Fernando Pereira. Filipe La Féria assinou, já nesta década, “Fado, história de um povo” (2010) e “O melhor de La Féria” (2011).