'Comboio noturno para Lisboa', o filme, os investimentos e os elogios à cidade

'Comboio noturno para Lisboa', o filme, os investimentos e os elogios à cidade

O filme "Comboio noturno para Lisboa", rodado em Portugal, contribuiu para a economia local e fortaleceu o desenvolvimento de uma "indústria do cinema", mas é preciso cautela na forma como se investe, afirmaram hoje figuras envolvidas no projeto.
Nas vésperas da estreia portuguesa do filme, o realizador Bille August, o ator Jeremy Irons, o autor do romance adaptado, Pascal Mercier, os produtores e o presidente da Câmara de Lisboa estiveram hoje reunidos, em conferência de imprensa, na capital portuguesa, onde se desdobraram em elogios à cidade, também ela protagonista da longa-metragem.
"Comboio noturno para Lisboa" é uma produção germano suíça, com participação minoritária portuguesa, mas a produtora Ana Costa recordou que, dos oito milhões de euros de orçamento, metade foi gasto em Lisboa e a rodagem envolveu 75 trabalhadores.
"Estamos a trabalhar para que haja mais produções destas em Portugal", afirmou Ana Costa.
A produção contou com o apoio da autarquia de Lisboa, tendo António Costa defendido que o filme deu "um contributo para fortalecer a indústria de cinema em Portugal", e que o país "pode e deve investir mais" nesta área.
Bille August e Jeremy Irons voltaram a filmar em Portugal, vinte anos depois de terem rodado "Casa dos Espíritos", e desdobraram-se em elogios pela temporada passada em Lisboa.
"Não se compara fazer um filme aqui ou um 'blockbuster' [filme comercial] em Hollywood", sublinhou Jeremy Irons, protagonista deste filme.
Apesar de defender que Lisboa, em particular, tem potencial para acolher mais produções cinematográficas, Jeremy Irons alertou para a necessidade de o país ter cautela e "não estragar o encanto da cidade", só por dinheiro.
António Costa referiu que a autarquia está em conversações com produtores de cinema "para definir uma estratégia de captação de produções", e que a Secretaria de Estado da Cultura "tem trabalhado num quadro fiscal mais atrativo", que poderá ser posto em prática quando se ultrapassar a fase de crise económica.
"Comboio noturno para Lisboa" é uma adaptação para cinema do romance de Pascal Mercier, uma história protagonizada por um professor suíço que, numa sucessão de acasos, ruma a Lisboa para seguir o percurso de Amadeu de Prado, um médico que lutou contra a ditadura do Estado Novo, e que o influenciará no modo como encara a vida.
Pascal Mercier gostou da transposição do romance para o grande ecrã: "O filme captou a qualidade poética da história. As imagens que tinha na minha cabeça vieram ao meu encontro, quando as vi no ecrã", disse.
Do elenco fazem ainda parte Jack Huston, Charlotte Rampling, Melanie Laurent, Bruno Ganz, August Diehl, Christopher Lee, Martina Gedeck e um leque de atores portugueses como Beatriz Batarda, Nicolau Breyner, Marco D’Almeida e Adriano Luz.
O filme foi exibido em antestreia mundial, no festival de Berlim, em fevereiro, já se estreou na Alemanha, Suíça e Áustria, e chega na quinta-feira a mais de uma dezena de salas de cinema em Portugal.