Altruísmo

24-10-2012 12:14

Ana Paula Reis

Alguma vez parou para pensar que é uma pessoa única e especial?  Que por mais que a vida o “molde” ou o condicione, as suas acções, sentimentos, pensamentos e comportamentos pertencem-lhe? 
Talvez pense que não é bem assim pois o exterior define, as adversidades transformam mas, acredite, a última palavra e decisão, podem ser suas! Claro que o que somos perante nós próprios e a sociedade reflecte o somatório das nossas características pessoais, experiências de vida e imprevistos. Enfim... Não controlamos tudo, pois somos constantemente postos à prova com bons e maus acontecimentos ao longo da vida, certo?
Mas já reparou na enorme diversidade, na forma como cada um de nós encara e lida com as situações com os outros, com as alegrias, tristezas e adversidades?
 Este é o tal factor  diferenciador que faz de si, enfim, de todos nós, seres únicos e especiais, sendo que tudo começa no.... “Era uma vez um bebé vermelhusco, enrugado, de preferência chorão, que sai da barriga protectora e isoladora da sua mãe e que diariamente, zeloso da sua sobrevivência, começa a ‘afirmar ‘: ”Eu existo...” 
Por hoje despeço-me deixando no ar as duas questões que pretendo abordar nas próximas rubricas: Auto-Conceito e Auto-Estima.  
Pretendo partilhar consigo questões muito importantes ao nível do desenvolvimento pessoal. Espero ser uma ajuda para que se (re)conheça, se (re)defina e, se for caso disso, se (re)adapte para se aproximar o mais possível dos padrões que estipulou para si próprio. 
Não é fácil, porque neste processo continuo, já muitas coisas se passaram e em que não tivemos direito a voto e isso deixou as suas marcas! 
Mas, lá está! Há sempre qualquer coisa que podemos fazer. Não acha?

Alguma vez parou para pensar que é uma pessoa única e especial?  Que por mais que a vida o “molde” ou o condicione, as suas acções, sentimentos, pensamentos e comportamentos pertencem-lhe? 

Talvez pense que não é bem assim pois o exterior define, as adversidades transformam mas, acredite, a última palavra e decisão, podem ser suas! Claro que o que somos perante nós próprios e a sociedade reflecte o somatório das nossas características pessoais, experiências de vida e imprevistos. Enfim... Não controlamos tudo, pois somos constantemente postos à prova com bons e maus acontecimentos ao longo da vida, certo?

Mas já reparou na enorme diversidade, na forma como cada um de nós encara e lida com as situações com os outros, com as alegrias, tristezas e adversidades?

 Este é o tal factor  diferenciador que faz de si, enfim, de todos nós, seres únicos e especiais, sendo que tudo começa no.... “Era uma vez um bebé vermelhusco, enrugado, de preferência chorão, que sai da barriga protectora e isoladora da sua mãe e que diariamente, zeloso da sua sobrevivência, começa a ‘afirmar ‘: ”Eu existo...” 

Por hoje despeço-me deixando no ar as duas questões que pretendo abordar nas próximas rubricas: Auto-Conceito e Auto-Estima.  

Pretendo partilhar consigo questões muito importantes ao nível do desenvolvimento pessoal. Espero ser uma ajuda para que se (re)conheça, se (re)defina e, se for caso disso, se (re)adapte para se aproximar o mais possível dos padrões que estipulou para si próprio. 

Não é fácil, porque neste processo continuo, já muitas coisas se passaram e em que não tivemos direito a voto e isso deixou as suas marcas! 

Mas, lá está! Há sempre qualquer coisa que podemos fazer. Não acha?

 

Ana Paula Reis

Paula Pimentel
Psicólogas Clínicas – Directoras do NUPE

Av. Aida, 25, 1 º andar, Apart. 42
2765-187 ESTORIL
Tel: (+351) 21 467 10 97
Telem. : (+351) 96 500 89 29
E-mail: geral@nupe.pt
http://www.nupe.pt